Mell Peck – Uma paixão em um minuto

Você não precisará mais que isso para cair de amores por esta cantora brasileira, moradora da cidade gaúcha de Sapucaia do Sul. Tudo bem, talvez sua beleza e suas inúmeras tatuagens estivessem influenciando minha capacidade de discernimento. Resolvei então ouvir mais que um minuto, passei a achá-la ainda mais talentosa e bela. Eu estava certo, Mell com perdão do trocadilho, possui uma das vozes mais doces que eu já ouvi.

Conheci o trabalho da Mell através da canção ‘Dia Especial’, uma regravação da banda gaúcha Cidadão Quem, banda que eu atendi de 2004 até o seu fim definitivo em 2014. Depois vieram a versão do Pouca Vogal, projeto que também envolve meu amigo Duca Leindecker. Eu precisava ouvir mais, e sua canção virou trilha sonora dos meus dias. Você deve estar achando que estou exagerando, mas pense por um minuto no resultado de uma bela cantora, com uma bela voz, com uma ótima capacidade de reestruturar excelentes canções e com escolhas musicais extremamente precisas.

Na sua lista de covers ela passa por: The Cranberries (Aliás, sua voz em muito se assemelha a Dolores O’Riordan), ColdPlay, Alexandre Nero, Los Hermanos, Enya, Charlie Brown, Linkin Park, The Corrs, Clarice Falcão, Legião Urbana, Paralamas, Tiê e uma lindíssima e surpreendente versão de Misty Mountains Cold, tema da trilogia O Hobbit.

Ela consegue inclusive fazer versões de bandas ou cantores que eu não acompanho muito, mas que acabam ficando excelentes em sua voz. Eu cai de amores deliberadamente pela Mell e tenho certeza que em um futuro breve, compartilharei desta paixão com milhares de pessoas. Vou escolher alguns vídeos para você aproveitar a oportunidade e incluir a Mell Peck em seus dias também, assim como fiz. Tem inúmeras canções em seu canal. Ouça todas…

Como seguir a Mell Peck:

YouTubeInstagramFacebookSoundcloud


 

Dia Especial – Cidadão Quem

Acho – Alexandre Nero

A Noite – Tiê

E eu que pensava que não ia me apaixonar…

Apesar dos vlogs mais acessados do país serem uma chatice de tamanho intangível, de vez em quando aparecem ideias bacanas. Uma destas ideias, ‘simples’ e original como toda boa ideia deve ser, surgiu há três meses apenas. O vlog ‘Marcelinho lendo contos eróticos’, traz um menininho maroto que invade o computador dos outros para ler contos de humor eróticos. Acompanhe o último vídeo lançado esta semana:

Marcelinho é uma produção da Alta Cúpula, criação do Erik Gustavo, o cara por traz da câmera dos vídeos do Ronald Rios, que começou com seus vídeos em formato de vlog, com uma temática de gosto duvidoso. Já dizia uma velha canção dos Titãs: ‘as ideias estão no chão, você tropeça e acha a solução’. Depois de uma sequência de vídeos fracos, sem muita graça, protagonizados pelo Ronald Rios, bastou o cara parar no CQC para Erik ter uma ideia genial sem seu antigo protagonista. O primeiro vídeo protagonizado por Marcelinho, disparou o contador dos vídeos que não ultrapassavam a casa dos 130.000 views, para nada menos que 1.400.000 views.

Não tem como ficar sério com a leitura de textos eróticos, naturalmente patéticos, feitas por um fantoche com voz de criança e com uma ótima rapidez de raciocínio. Erik teve esta grande ideia após tanto tempo produzindo material para a internet. Não o conheço e espero não estar sendo injusto, mas talvez a ida de Ronald Rios para o CQC e um provável afastamento da produção de conteúdo, era a solução disfarçada de problema, necessário para que Erik se encontrasse, buscando em si mesmo uma solução.

O mais genial da ideia é que não importa quantas vezes você assista o mesmo vídeo é impossível não se estragar de rir com a leitura e os comentários sagazes de Marcelinho. De uma coisa eu tenho certeza, se a Ana Maria Braga trocasse o Louro José pelo maroto Marcelinho, o resultado seria no mínimo interessante. Talvez o programa fosse retirado do ar, mas deixaria certamente nossas manhãs mais animadas (sem trocadilhos).

Sem querer ser injusto com o Ronald Rios, mas parabéns ao Erik pela ideia. O mais engraçado é que eu tive uma ideia semelhante há uns dois anos. Queria criar um personagem, exatamente igual ao Marcelinho, que ensinaria aulas de Photoshop na internet, já que eu não gostaria de aparecer no vídeo e se fosse apenas narrado, seria entediante. Nunca coloquei em prática, achei que somente eu acharia graça nisso. Claro que não teria a graça dos contos eróticos do Marcelinho, mas é a prova de que ideias existem para serem colocadas em prática e não esqueça: possuem prazo de validade para acontecer, se você deixa passar a oportunidade, já era.

Atualizando

 

A identidade mantida…

Já falei aqui no site, que não gosto muito de falar das coisas que não gosto. Prefiro muito mais, indicar assuntos que me agradam. Em contrapartida, já fiz alguns artigos fazendo avaliações críticas sobre PC Siqueira e Felipe Neto. Se você nunca ouviu falar deles, provavelmente chegou de Marte ontem.

Em um dos meus textos porém, comentei que acreditava muito mais na permanência do Pc Siqueira do que na continuidade da fama meteórica do Felipe Neto. Enquanto o Pc Siqueira fala de coisas cotidianas, sendo boas ou ruins, o tema do Felipe Neto é sempre um assunto muito popular, viral e controverso por consequência.

Parece que minhas ‘previsões’ se confirmaram. Apesar do Pc Siqueira ficar atrás dos números do Felipe Neto (sem comparar um ao outro diretamente, apenas como base de informação), talvez essa fama menos arrebatadora tenha mantido os pés do Pc Siqueira no lugar. Enquanto o Felipe Neto continua aumentando sua lista de adoradores de um lado e profanadores do outro, Pc Siqueira veio correndo por fora, mantendo a linha, fazendo exclusivamente o que lhe fez famoso.

Continuou mantendo todas as suas esquisitices que arrebataram a gurizada da internet e confesso, já tirou muitas gargalhadas de mim. Minha constatação fica óbvia nos famosos votos de Gostei e Não Gostei.

Em seu último vídeo, Pc Siqueira acumula até o atual momento, 4.121 joinhas e apenas 74 negativas. No último vídeo de Felipe Neto, são mais de 5.000 negativas. Ou seja, ele consegue ter mais reprovação, do que Pc Siqueira de aprovação. Em porcentagem, nos vídeos de Pc Siqueira, 1,79% não gostaram do vídeo. No último vídeo do Felipe Neto 16% das pessoas não gostaram do vídeo.

O que você me diz? É só uma questão de cálculo. É uma ciência exata. Se você fosse um grande empresário, de uma mega empresa brasileira. E tivesse a idéia de anunciar com um dos dois. Você arriscaria contrair 16% de insatisfação ou 1,79%?

Pc Siqueira e Felipe Neto apesar de parceiros, estão aí para provar que nem tudo que é popular é necessariamente bom. Muitas vezes não é. Nem tudo que chama atenção, que causa báfáfá, no fundo é algo bacana. Muitas vezes não é. Prefiro o meio termo. Prefiro o segundo lugar que causa simpatia, do que o primeiro que incentiva a discórdia, a intolerância, o pré-julgamento.

Eu sou mais Pc Siqueira.

Problemas.com

Não é de hoje que a internet causa grandes problemas.
Começamos com os spams e seus incômodos, passamos para os vírus que causaram grandes problemas técnicos e os chat’s e mensagens de email que causaram separações, demissões e outros constrangimentos.

Então entramos na era dos sites de fotografia como o Fotolog®. Vieram na onda o MSN® e seu indiscreto serviço de webcam. Passamos então as grandes comunidade de relacionamento como o Orkut® e Facebook®. Infelizmente fomos educados para conviver em sociedade, entender os limites da boa convivência, mas não tivemos tempo de aprender como nos comportar dentro da internet.  Todo mundo se expondo demais, o que rapidamente se torna um prato cheio para fofocas, intrigas e conflitos. Então o Orkut® lançou diversas ferramentas para nos ‘protegermos’ da opinião alheia e voltamos a velha regra onde tudo é permitido desde que entre ‘quatro paredes’.

O YouTube® chegou constrangendo com maestria em vídeos nada discretos como aconteceu com a Daniela Cicarelli e a ex-BBB Maira, ambas em cenas de sexo.

Agora é definitivamente a vez do Twitter®. Já não são um ou dois casos de profissionais que perderam seus empregos por comentários feitos no microblog. Ainda temos as saias justas que muitos já passaram por comentários inapropriados.

Mas há quem se utilize desta grande necessidade de ‘cuidar da vida alheia’ para se promover.  Quem não lembra do caso do ator americano Ashton Kutcher (@aplusk) que tweetou uma foto de sua mulher ‘Demi Moore’ só de calcinha e sutiã, o que fez seu twitter disparar no número de seguidores. Neste momento exato Kutcher está há 3 seguidores de chegar a 5.000.000 de followers.

Até onde aquela foto é verídica ou não, se teve ou não consentimento de Demi Moore, só ele pode revelar. O ‘escândalo’ mais recente do Twitter porém, envolve a cantora da banda Paramore, Hayley Williams. No seu perfil foi publicado um link para uma foto da cantora com os seios a mostra. Mais tarde Hayley disse que sua conta foi hackeada, confirmou a veracidade da foto, mas negou que tenha publicado. A pergunta que fica é: Verdade ou Mentira?

Afinal, uma fotinha no Twitter e o mundo inteiro comentando, quer uma propaganda mais viral? As vezes me questiono da veracidade de casos como Paris Hilton e Britney Spears, afinal hoje em dia, todo mundo tem memória curta e a receita de vivar notícia na rede é bastante simples.

Ter sua vida exposta de maneira que você não gostaria já é um problema bem antigo, que diria Xuxa com seu filme erótico ‘Amor estranho Amor’ onde tem relações com um garoto de apenas 12 anos. Xuxa conseguiu judicialmente retirar todas as fitas originais de venda e de locação usando o prerrogativa de não ter assinado os direitos de iamgem para produção de VHS (É amigo o filme é antigo, da época do VHS). Apesar do êxito, em 2005 o filme passou a ser vendido nos Estados Unidos em DVD e por ter virado uma lenda, as vendas para brasileiros é grande. Xuxa tentou um recurso na justiça americana mas perdeu.

É o velho ditado que já dizia:

‘De perto ninguém é normal’