Uma cena para sempre…

Hoje, estava baixando o cd de uma banda chamada ‘The Morning Benders‘ e uma de suas músicas me recordou muito ‘Philadelphia’, do Neil Young. Acabei lembrando do filme, acabei lembrando da cena. Cena que para mim é a mais bela do cinema mundial.

Tom Hanks é Andrew Beckett, um advogado jovem que se torna a grande aposta de um importante escritório de advocacia. Andrew no entanto descobre que é soro positivo ao mesmo tempo que é demitido inesperadamente.

Ele parte em busca de um advogado que aceite processar seus antigos patrões. Sua alegação é a demissão motivada pela discriminação causada pela sua doença e por descobrirem que Andrew é homossexual. Eram outros tempos, onde ser soro-positivo era ser fadado a uma morte social. Andrew procura o advogado Joe Miller (Denzel Washington), que faz propagandas na televisão onde diz atender casos que ninguém aceitaria. Ao saber que Andrew é soro positivo, Joe recusa a atende-lo. Após a saída de Andrew de seu escritório, Joe lava a mão com a qual cumprimentou Andrew e para piorar, chega a fazer um exame de sangue para ter certeza que não foi contaminado. Parece absurdo, mas era assim.

Ao sair do escritório, Andrew demonstra todo seu sofrimento e o sentimento de abandono, de solidão, de estar sendo enterrado vivo, vendo sua última tentativa se mostrar ineficaz. Além da expectativa cruel da morte eminente como era na época, suportar a discriminação de uma sociedade que chamava a AIDS de ‘Câncer Gay’. Infelizmente temos que reviver essa ignorância na imagem de pastores evangélicos.

É um dos mais belos filmes que já pude assistir, com uma das mais belas trilhas sonoras, ganhadora do Oscar® inclusive. Sem dúvida é o maior filme da filmografia de Tom Hanks.

Originalmente Publicado em 24 de dezembro de 2010 às 22:24

Os Garotos estão de Volta – Trilha Sonora

Como falei do filme, não poderia ignorar a ótima trilha sonora de ‘Os garotos estão de volta’ (The Boys Are Back), que possui boas curiosidades.

A banda islandesa Sigur Rós – por exemplo – forneceu nove canções usadas inicialmente apenas como guia nas imagens, mas o diretor Scott Hicks gostou tanto do resultado que acabou viajando para a Islândia, apenas para pedir aprovação do autor para usá-las no filme. Das nove canções, apenas Ara Batur e Fljotavik constam deste álbum. A direção musical do filme ainda contou com o compositor e guitarrista Hal Lindes, que se dedica a produção de trilhas sonoras, desde que abandonou o Dire Straits em 1984, durante as gravações do álbum ‘Brothers In Arms’, o quarto álbum da banda, que lançou o Dire Straits para sua carreira internacional, se tornando o principal álbum mundial de 1985, alcançando o primeiro lugar da Billboard americana e primeiro lugar na UK Albums Chart. Para ‘piorar’, o álbum está na lista do Guinness Book como o primeiro CD a vender mais de 1 milhão de cópias, sendo considerado extremamente importante para a divulgação desta nova mídia, que chegava ao mercado musical.

O restante da trilha inclui: Ray Lamontagne com a bela canção ‘All the Wild Horses’ que lhe conquista já nos primeiros segundos de uma belíssima introdução de violino, com um ar que sopra em algum interior intocado onde cavalos selvagens ainda correm livres. Além desta grata surpresa, temos Carla Bruni, cantando em inglês e mais: Elbow (banda britânica), Mayfield (banda indie do sul da Califórnia) e Carney (banda indie de Nashville no estado do Tennessee, USA – ainda no primeiro álbum da carreira).

Talvez o erro de Scott Hicks tenha sido de fato ‘ser tão indie’ neste filme, fadando-o a uma precoce esquecimento. O Gelo Negro também é um site ‘indie demais’, falo de pessoas tão desconhecidas que ninguém conhece, ninguém procura e ninguém acessa o site. Tenho pensado muito sobre isso, pensando em falar de artistas e filmes que estejam mais em alta, para ver se mudo um pouco essa realidade do site, de ‘poucos’ acessos. Ao contrário da regra geral, não curto a ideia de ser alguém de foco limitado, acredito que tudo deva ser popularizado, para que assim, diante de inúmeras opções, possamos fazer a escolha ‘correta’, por assim dizer.

Depois da breve filosofada, vamos as canções do álbum.

Playlist

  1. The Boys Are Back – Hal Lindes
  2. Fljotavik – Sigur Rós
  3. Water Fight – Hal Lindes
  4.  All the Wild Horses – Ray LaMontagne
  5. Joe & Laura – Hal Lindes
  6. Katy’s Garden – Hal Lindes
  7. This Wasted Life – Mayfield
  8. Joe’s Office – Hal Lindes
  9. Family Photos – Hal Lindes
  10. Harry & Artie Home Alone – Hal Lindes
  11. The Fix – Elbow
  12. Journey to England – Hal Lindes
  13. Love Me, Chase Me – Carney
  14. Don’t Abandon Us Now – Hal Lindes
  15. Paddington Farewell – Hal Lindes
  16. You Belong to Me – Carla Bruni
  17. The Boys Are Back (Reprise) – Hal Lindes
  18. Ara Batur – Sigur Rós
  19. Don’t Abandon Us Now (Revisited) – Hal Lindes

Download do álbum

ps. O nome do arquivo é 2009osttbab.zip

 

50/50 Soundtrack – 50% Trilha Sonora

Custou, pesquisei muito e demorei 3 dias para encontrar as músicas do filme 50% (50/50). A trilha sonora não foi copilada em cd, portanto tive que ir atrás das versões originais e ainda ficaram quatro canções de fora. Tem muita música boa como: ‘High and Dry’ do Radiohead, gravada no melhor cd da banda na minha opinião, ‘The Bends’. Além de Radiohead tem Pearl Jam, Bee Gees, Roy Orbison e uma galera boa que eu não conhecia. Se você quer ver o post que escrevi sobre o filme, clique aqui.

Ficha Técnica

Título Original … 50/50
Lançamento … 2011
Diretor … Jonathan Levine
Roteiro … Will Reiser
Gênero … Comédia Dramática
Duração … 100min

Playlist

  1. Jacuzzi Boys – Bricks or Coconuts
  2. John Fumo – Midnight Blue
  3. Radiohead – High and Dry
  4. Harmony & Balance – Simplicity
  5. The Walkmen – New Country
  6. Bee Gees – To Love Somebody
  7. The Aggrolites – Work To Do
  8. Eric V. Hachikian – Downtown Blues
  9. The Sideway Runners – Turn It Down
  10. Mr. Little Jeans – Angel (Rac Remix)
  11. Autokratz – Stay The Same
  12. The Diplomats of Solid Sound – Soul Connection
  13. Shapes and Sizes – Too Late For Dancing
  14. Eric V. Hachikian – Hunters
  15. Gerry Rafferty – Days Gone Down (Still Got The Light In Your Eyes)
  16. Eric V. Hachikian – Survival
  17. Roy Orbison – Crying
  18. Liars Inc – The Other Side of Mt. Heart Attack
  19. Pearl Jam – Yellow Ledbetter

Download cd

O Noivo da Minha Melhor Amiga – Something Borrowed

Ontem aluguei O Noivo da Minha Melhor Amiga (Something Borrowed), por indicação da garota da locadora. Claro que com um grau de receio gigantesco, porque dica de locadora é sempre bucha. Levei pela Kate Hudson, a qual me convenci que interpreta ela mesma nos filmes. O filme é tem um roteiro adaptado do romance homônimo de Emily Giffin.

O filme traz uma história interessante e envolvente, que trata sobre nossas escolhas do passado e nossa incapacidade de perceber quando as oportunidades estão diante de nós e as ignoramos totalmente. Porém o desfecho da história foi mais simples do que eu esperava, diante da complexidade do problema. Além de Kate Hudson o filme traz Ginnifer Goodwin, que você deve lembrar bem, da comédia romântica ‘Ele não está tão afim de você’. Colin Egglesfield que eu não conhecia, me lembrou muito Tom Cruise jovem.

Sinopse

Rachel (Ginnifer Goodwin) vai fazer 30 anos e é a típica garota certinha, durante uma festa surpresa, bebeu além da conta e acabou na cama com Dex (Colin Egglesfield), seu colega de faculdade e noivo de sua amiga de infância Darcy (Kate Hudson), de quem ela é madrinha de casamento. Agora, ele vive o conflito dos preparativos para a festa, enquanto começam a pesar na balança a amizade dos tempos de infãncia e seu amor platônico por Dex, que ela alimenta desde a faculdade.

Ficha Técnica

título original .. Something Borrowed
gênero .. Comédia Romântica
duração .. 103 min
ano de lançamento .. 2011
estúdio .. Alcon Entertainment – Wild Ocean Films – 2S Films
distribuidora .. Warner Bros. (EUA) – PlayArte Filmes (BR)
direção .. Luke Greenfield
roteiro .. Jennie Snyder
música .. Alex Wurman
fotografia .. Charles Minsky

Elenco

Ginnifer Goodwin como Rachel White
Kate Hudson como Darcy Rhone
John Krasinski como Ethan
Colin Egglesfield como Dex Thaler
Steve Howey como Marcus
Ashley Williams como Claire

Trilha Sonora

O filme não teve um álbum de trilha sonora oficialmente, mas todas as músicas do filme foram reunidas no que chamamos de unofficial soundtrack. Fiz até uma capa legalzinha para você baixar para seu iTunes. E tem muita banda conhecida…

Playlist

  1. Tyrone Wells – Running Around In My Dreams
  2. Natasha Bedingfield – Little Too Much
  3. The Civil Wars – Poison & Wine
  4. Peter Bradley Adams – The Longer I Run
  5. Hipjoint feat. Sherry St. Germain – Let’s Go & Crank It Up
  6. King Floyd – Groove Me
  7. Salt-N-Pepa – Push It
  8. Collective Soul – The World I Know
  9. Maroon 5 – Secret
  10. White Rabbits – Percussion Gun
  11. Radiohead – Fake Plastic Trees
  12. Miss Eighty 6 – Came To Party
  13. Bubba Sparx & Ying Yang Twins & Mr Collipark – Ms New Booty
  14. Search-Rescue – Fireflies
  15. Counting Crows – Round Here
  16.  Third Eye Blind’s – How’s It Going To Be

Download álbum completo

 

O Palhaço – Filme

Hoje tive a certeza de que minhas avaliações e dicas feitas no Gelo Negro possuem muita coerência. Há mais de um ano, escrevi um artigo sobre o Renato Godá, talentoso cantor paulista. Na tentativa de explicar seu estilo musical, resumi:

‘Em alguns momentos tem um ar nonsense, embalado em marchinhas meio circenses…’

Ao assistir o clipe do famigerado filme ‘O Palhaço’, dirigido e estrelado por Selton Melo, tenho a grata surpresa de ouvir o instrumental da música ‘Bom Partido’, de quem? de quem?…Renato Godá. Entrei no Facebook e perguntei diretamente na fanpage, se realmente era a música dele e a produção dele confirmou, para minha felicidade, não é a única canção, várias músicas foram usadas na trilha do filme, pelo que me parece, todas sem o vocal. Fiquei extremamente feliz de ver uma avaliação totalmente pessoal, tomar forma e acabar virando realidade.

A escolha da produção do filme não poderia ser mais acertada e filme com boa trilha sonora é meio caminho andado.

O Filme

O Palhaço conta a história de Benjamin (Selton Mello) e Valdemar (Paulo José), pai e filho conhecidos nos picadeiros como os palhaços Pangaré e Puro Sangue. Eles ganham a vida viajando pelo país com o ‘Circo Esperança’, sem endereço fixo, sem vizinhos, sem documentos.

O drama começa quando Pangaré, cansado da vida na estrada, começa a achar que já não é mais um palhaço engraçado, fazendo despertar um sonho antigo de ter um lugar para morar e um CPF, comprovando sua identidade.

Críticas

Como ainda não assisti o filme e não posso dar minha opinião sobre ele, fui atrás das críticas deixadas na internet. Como todo filme que me agrada muito, as opiniões se dividem entre excelente e lixo. Invariavelmente as críticas positivas são bem elaboradas e coerentes, enquanto as críticas negativas são bastante superficiais e descriteriosas. Em uma declaração do Selton Mello, a explicação para tamanha divergência fica um pouco mais óbvia, disse ele ao portal G1

É uma época de filmes muito tecnológicos. ‘O palhaço’ é um filme analógico

Talvez a ideia de um filme com uma temática simples e humilde, em tempos de cinemas 3D e salas iMax, cause definitivamente algum repúdio e uma dificuldade de identificação da galera mais jovem. Apesar do título ‘O Palhaço’ e de ser lançado próximo as férias de fim de ano, o filme não é nenhuma comédia pastelão. Selton Mello novamente faz outra declaração bastante consciente da realidade do seu filme:

São tantos efeitos visuais, truques e criaturas criadas por computador no cinema de hoje que acho que as crianças vão acabar estranhando os personagens do Circo Esperança. esses personagens parecem seres de outro planeta, porque elas nem imaginam que existe esse mundo do circo

Intencionalmente ou não, o filme traz uma boa reflexão sobre como nos relacionamos com tudo isso, como as crianças e adolescentes perderam o encanto por coisas simples, a falta de capacidade de se emocionar com histórias reais, com personagens humanos.

Posso estar enganado, mas a fotografia do filme me lembra muito ‘O Fabuloso Destino de Amelie Poulain’ e ‘nansnadnandnad’. Além de ter um ar nonsense no estilo de Carnivale. Também li em algum lugar uma crítica que lhe comparava com o filme ‘Prazer sem limites’ (Boogie Nights), filme de 1997.

O filme tem participações bem interessantes como a do Ferrugem.

Trailer

Amor sem escalas – O filme que o Oscar esqueceu

Amor Sem Escalas (Up in the Air) é uma comédia-drama dirigida por Jason Reitman, co-escrita com Sheldon Turner. O filme é um roteiro adaptado do romance de Walter Kim, lançado em 2001. Teve seis nomeações ao Oscar e não levou nenhuma estatueta, porém, de qualquer forma, é um dos grandes filmes que assisti em minha vida.

Protagonizado por um ator que aprendi a respeitar, George Clooney, Amor Sem Escalas conta a história de Ryan Bingham, o mais importante funcionário de uma empresa, contratada para gerir o que chamam de Layoff, um afastamento temporário de um grande número de funcionários de uma determinada empresa. Seu papel é garantir que essa situação seja menos desgastante para as empresas que o contratam. Sua principal característica, é convencer pessoas que acabaram de perder seus empregos, em resumo, de que ‘há males que vem para melhor’.

O trabalho de Ryan Bingham toma todo o tempo de sua vida, fazendo-o viver grande parte dela, dentro de aviões, atravessando todo o território americano. Ele definitivamente é o melhor no que faz e elaborou inúmeras teorias sobre a necessidade do desapego material e sentimental para convencer todos os tipos de pessoas. Em muitos momentos você pensará que é apenas uma forma pessoal para que ele justifique sua vida profissional de sucesso e seu completo fracasso na vida pessoal. Será mesmo?

Veja o trailer do filme, que apresenta uma das teorias de Ryan.

Trilha Sonora

A música tema do filme me apresentou o desconhecido artista Sad Brad Smith, indicado ao Oscar com ‘Help Yourself’. Além de:

  1. This Land Is Your Land – Sharon Jones & The Dap-Kings 4:27
  2. Security Ballet – Rolfe Kent 1:31
  3. Goin’ Home – Dan Auerbach 4:53
  4. Taken At All – Crosby, Stills & Nash 2:58
  5. Angel In the Snow – Elliott Smith 2:35
  6. Help Yourself – Sad Brad Smith 3:23
  7. Genova – Charles Atlas 7:37
  8. Lost In Detroit – Rolfe Kent 1:36
  9. Thank You Lord – Roy Buchanan 2:24
  10. Be Yourself (1971 Demo) – Graham Nash 2:59
  11. The Snow Before Us – Charles Atlas 3:12
  12. Up In the Air – Kevin Renick 5:29
  13. Bust a Move (Live Version) – Young M.C. 4:23
  14. Milwaukee – Rolfe Kent 1:54

Ficha Técnica

título original … Up in the Air
gênero … Comédia Dramática
duração … 109min
lançamento … 2009
estúdio … Paramount
direção … Jason Reitman
roteiro … Sheldon Turner e Jason Reitman
adaptação … Baseado no livro de Walter Kim
música … Rolfe Kent

Elenco

George Clooney … Ryan Bingham
Vera Farmiga … Alex Goran
Anna Kendrick … Natalie Keener
Jason Bateman … Craig Gregory
Zach Galifianakis … Steve

Next Posts