Precisamos falar sobre o Kevin

Poucos dias após assistir ‘Precisamos falar sobre o Kevin’, os Estados Unidos se vêem novamente diante de um massacre de civis durante a sessão de pré-estreia de Batman The Dark Knight Rises. O que uma coisa tem haver com outra? Tudo. O filme é uma adaptação do livro homônimo, escrito pela romancista e jornalista Lionel Shriver. Ironicamente, Shriver havia escrito sete romances antes de escrever ‘We Need to Talk About Kevin’ em 2003. Apesar do nome constumamente masculino: ‘Lionel’, ela nasceu Margaret Ann Shriver.

A adaptação para o cinema foi magestral. Lynne Ramsay tem apenas dois outros longas na sua carreira: ‘O Lixo e o Sonho’ (Ratcatcher de 1999) e  O Romance de Morvern Callar (Morvern Callar de 2002), mas parece que é só o começo de uma carreira muito promissora. Anote: Ramsay em um futuro breve estará entre as indicações de um Oscar. Falarei mais sobre ela na seção Spoilerando no finalzinho do post. É o segundo filme que assisto com Ezra Miller recentemente, o outro é Bastidores de um Casamento onde ele também faz um papel excelente, acho que o moleque promete.

Sinopse

Eva (Tilda Swinton) mora sozinha e teve sua casa e carro pintados de vermelho. Maltratada nas ruas, ela tenta recomeçar a vida com um novo emprego e vive temorosa, evitando as pessoas. O motivo desta situação vem de seu passado, da época em que era casada com Franklin (John C. Reilly), com quem teve dois filhos: Kevin (Jasper Newell/Ezra Miller) e Lucy (Ursula Parker). Seu relacionamento com o primogênito, Kevin, sempre foi complicado, desde quando ele era bebê. Com o tempo a situação foi se agravando, mas mesmo conhecendo o filho muito bem, Eva jamais imaginaria do que ele seria capaz.

Ficha Técnica

Título Original … We Need to Talk About Kevin
Gênero … Drama
Duração … 110 min
Lançamento … 2011
Direção … Lynne Ramsay
Roteiro … Lynne Ramsay baseada no livro de Lionel Shriver
Nacionalidade … USA/Reino Unido

Elenco

Tilda Swinton como Eva
John C. Reilly como Franklin
Ezra Miller como Kevin adulto
Jasper Newell como Kevin criança

Como sempre, se você já viu o filme, continue o post e saiba mais sobre o filme e minhas opiniões particulares…

Spoilerando

Read More…

Tão Forte e Tão Perto

Custou para esse filme chegar nas minhas mãos. Não pude assisti-lo no cinema (na realidade não vejo um filme no cinema há mais de um ano), e quando deveria chegar na locadora, houve algum problema no distribuidor. Enfim pude computar mais um filme com Tom Hanks na minha lista de filmes assistidos. Vamos a ficha técnica toda e no fim você já sabe, se você assistiu o filme pode conferir a seção Spoilerando, onde comento minhas impressões pessoais sobre o filme e algumas curiosidades do fime.

Sinopse

Oskar Schell (Thomas Horn) é um garoto muito inteligente e apegado ao pai, Thomas (Tom Hanks), que adorava alimentar a capacidade imaginativa do filho, lhe dando missões que exigiam uma grande capacidade de encontrar pistas e desvendar mistérios. Thomas inventou para Oskar que Nova York possuia um sexto distrito, hoje desaparecido, que forçaria Oskar a sair de casa e falar com estranhos, uma das grandes dificuldades de Oskar, que possuia alguma suspeita de ser portador da síndrome de Asperger, condição que traz como característica uma alta capacidade intelectual, porém com dificuldades no convívio social. Thomas estava no World Trade Center no fatídico 11 de setembro de 2001, tendo falecido devido aos ataques terroristas. A perda do pai tem um poder devastador na vida de Oskar e de sua mãe, Linda (Sandra Bullock). Um ano após a morte de seu pai, Oskar teme perder as lembranças que tinha do seu pai e consegue enfrentar o medo de entrar em seu quarto para vasculhar o guarda-roupas dele, quebrando acidentalmente um pequeno vaso azul. Dentro um envelope com a inscrição ‘Black’ e dentro, uma misteriosa chave. Convencido que ela é parte de um enigma deixado pelo pai para que pudesse desvendar, Oskar inicia uma expedição pela cidade de Nova York, em busca de todos os habitantes que tenham o sobrenome Black.

Ficha Técnica

Título Original … Extremely Loud & Incredibly Close
Gênero … Drama
Duração … 106 min
Lançamento … 2011
Direção … Stephen Daldry
Roteiro … Eric Roth baseado no livro de Jonathan Safran Foer
Nacionalidade … USA

Elenco

Tom Hanks como Thomas Schell
Thomas Horn como Oskar Schell
Sandra Bullock como Linda Schell
Zoe Caldwell como Avó de Oskar
Dennis Hearn como Pastor
Paul Klementowicz como Mendigo
Julian Tepper como Deli Waiter
John Goodman como Stan o Porteiro
Max von Sydow como Inquilino

Read More…

A Invenção de Hugo Cabret

Hugo Cabret sem dúvida é um filme que eu deveria ter visto em 3D em uma tela de cinema bem gigante, infelizmente deixei passar. A beleza do filme é tamanha que em diversos momentos o filme parece um longa de animação. Mesmo assistindo o filme em 2D, fica evidente como o filme foi especialmente produzido para ser visto em 3D. Sacha Baron Cohen está irreconhecível no papel do Inspetor da Estação, quem não ficar atento esquece que ele protagonizou os filmes Borat e Bruno. Chloë Moretz continua me apaixonando como atriz, você não demora 10 segundos para criar uma simpatia com a personagem. Dirigido por ninguém menos que o mestre Martin Scorsese (Ilha do Medo, Os Infiltrados, Gangues de Nova York, Os Bons Companheiros, Taxi Driver). Pela primeira vez o Brasil foi mais inteligente no título do filme, ‘A Invenção de Hugo Cabret’ é a tradução literal do livro infantil The Invention Of Hugo Cabret, escrito por Brian Selznick.

Sinopse

Paris, anos 30. Hugo Cabret (Asa Butterfield) é um órfão que vive escondido nas paredes da estação de trem. Ele guarda consigo um robô quebrado, deixado por seu pai (Jude Law). Um dia, ao fugir do inspetor (Sacha Baron Cohen), ele conhece Isabelle (Chloë Moretz), uma jovem com quem faz amizade. Logo Hugo descobre que ela tem uma chave com o fecho em forma de coração, exatamente do mesmo tamanho da fechadura existente no robô. O robô volta então a funcionar, levando a dupla a tentar resolver um mistério mágico.

Ficha Técnica

Título Original … Hugo
Gênero … Aventura Dramática
Duração … 126 min
Lançamento … 2012
Direção … Martin Scorsese
Roteiro … John Logan (baseado na obra de Brian Selznick)
Produção … Johnny Depp
Nacionalidade … USA

Elenco

Ben Kingsley como Papa Georges / Georges Méliès
Sacha Baron Cohen como Station inspector
Asa Butterfield como Hugo Cabret
Jude Law como Pai de Hugo Cabret
Chloë Grace Moretz como Isabelle
Ray Winstone como Tio Claude
Emily Mortimer como Lisette
Helen McCrory como Mama Jeanne
Christopher Lee como Monsieur Labisse

Se assistiu o filme, pode continuar no post e ver minha opinião sobre o filme, além de algumas curiosidades que possam ter ficado.

Read More…

Um Dia

Quando vi a capa deste filme, queria vê-lo a todo custo. Infelizmente ele não estava disponível em nenhuma locadora. A única que já tinha o filme, comprou apenas cópias em blu-ray. Prometi para mim, que quando conseguisse comprar um aparelho, este seria o primeiro filme que eu alugaria e assim cumpri a promessa. É estranha a sensação de você entrar pela primeira vez em uma locadora e ver que aquele ‘mundo’ que você não foi convidado para estar, agora você também faz parte. Parece que tudo começa no zero novamente. É estranho, difícil pensar como coisas simples nos são negadas pela dificuldade financeira que todos nós passamos, deveria ser para todos. Como diria Álvaro de Campos:

Serei sempre o que não nasceu para isso; (…)
Serei sempre o que esperou que lhe abrissem a porta ao pé de uma parede sem porta.

No popular, eu sou o famoso pobre soberbo.

Um Dia (One Day) é o segundo filme de destaque baseado nos romances do escritor e roteirista David Nicholls. O primeiro filme foi Garoto nota 10 (Starter for Ten). O livro foi lançado em 2003 e o filme adaptado em 2006, filme bem simpático por sinal. Em 2005 ele escreveu The Understudy, que me parece não ter sido publicado no Brasil e Um Dia (One Day), escrito em 2009 e adaptado em 2011. Nicholls lembre em muito o estilo do escritor Nicholas Sparks, especialista em romances com finais tristes. Como Nicholls também é roteirista, ele produz roteiros originais (aqueles escritos diretamente para o cinema). O mais interessante até o momento foi ‘Quando Você Viu Seu Pai Pela Última Vez?’. Parece que Um Dia abriu novas portas para Nicholls que assina o roteiro de dois filmes importantes: ‘Great Expectations’, em pós-produção e o que será O Diário de Bridget Jones 3, com o título ‘Bridget Jones Baby, ainda em pré-produção e sem data prevista para lançamento. Muito provavelmente 2013 ou 2014. Mas isso é assunto para outros posts, vamos falar sobre Um Dia, filme protagonizado pela belíssima Anne Hathaway e o meia-boca Jim Sturgess. Se Nicholls herdou algo de Sparks, foi essa ideia de colocar modeletes nos papéis principais. Todo mundo gosta de ver gente bonita, mas no caso do personagem masculino, atitude é sempre mais importante que uma bela cutis.

Sinopse

Dexter Mayhew (Sturgess) e Emma Morley (Hathaway) se conheceram na faculdade, apesar de Dexter nunca ter reparado na desajeitada Emma. No dia 15 de julho de 1988, data da formatura de ambos, finalmente Dexter percebe a existência de Emma, com a ajuda de porrezinho leve. Emma leva Dexter para seu apartamento, mas o clima entre os dois não rola como Emma esperava. Enfim acabam dormindo juntos, sabendo que no dia seguinte, deverão trilhar caminhos diferentes. Ele um playboy pegador clássico e ela uma garota de baixo autoestima. Porém a amizade permanece e a cada ano que se passa, um se torna mais importante na vida do outro. O romance que deveria acontecer é sempre atrapalhado por circunstâncias da vida. Os anos se passam e ‘Dex’ e ‘Em’ levam vidas isoladas, muito diferentes daquelas que eles sonhavam ter. Agora no entanto, incapazes de esquecer o sentimento muito especial que os arrebatou naquela primeira noite, surge uma extraordinária relação entre os dois. Ao longo dos vinte anos seguintes, flashes do relacionamento deles são narrados, ano a ano, todos no mesmo dia: 15 de julho. Dexter e Emma enfrentam disputas e brigas, esperanças e oportunidades perdidas, risos e lágrimas. Conforme o verdadeiro significado desse dia crucial é desvendado, eles precisam acertar contas com a essência do amor e da própria vida.

Ficha Técnica

Título Original … One Day
Direção … Lone Scherfig
Lançamento … 2011
Nacionalidade … USA/UK
Gênero … Drama
Duração … 107 min

Elenco

Anne Hathaway como Emma Morley
Jim Sturgess como Dexter Mayhew
Patricia Clarkson como Alison Mayhew
Romola Garai como Sylvie Cope

Assistiu? Gostou? Odiou? Ficou na dúvida?
Veja o restante do post e compartilhe das minhas percepções.

Read More…

Cavalo de Guerra

Cavalo de Guerra é uma produção DreamWorks/Disney, o que já indica que o filme possui um apelo um tanto fantasioso. Saber deste detalhe pode lhe ajudar a entender melhor a mecânica do filme. É o 108º filme com participação de Steven Spielberg, o 37º como diretor. Spielberg dispensa apresentações, certamente na sua lista melhores filmes, certamente existe um dele. Foram simplesmente 111 indicações ao Oscar em produções que participou de alguma forma com 31 estatuetas ganhas.

Com roteiro adaptado por Richard Curtis, Cavalor de Guerra é baseado no livro homônimo escrito em 1982 pelo britânico Michael Morpurgo. O livro focado no público infanto-juvenil, se passa entre os anos de 1912 a 1918.

Sinopse

Ted Narracot (Peter Mullan) é um camponês orgulhoso, trabalhador e ex-combatente de guerra. Seus problemas de saúde, agravados pelo vício em álcool dificultam a lida no campo. Ao lado da esposa Rose (Emily Watson) e o filho Albert (Jeremy Irvine), tentam sobreviver em uma pequena fazenda alugada, sofrendo as ameaças e cobranças do inescrupuloso proprietário das terras. Em um momento de revolta, cansado dos mal tratos sofridos pelo senhorio, decide bater de frente com ele durante um leilão e acaba comprando um cavalo inadequado para serviços de tração animal. A briga no arremate o força a gastar todas as economias da família, o que quase enlouquece sua esposa. Albert, seu filho, acaba se apegando ao animal e tentará prepará-lo para a lida dura do campo.

Ficha Técnica

Título Original … War Horse
Direção … Steven Spielberg
Lançamento … 2012
Nacionalidade … USA
Gênero … Drama Histórico Guerra
Duração … 146 min

Elenco

Emily Watson como Rose Narracott
Peter Mullan como Ted Narracott
David Thewlis como Lyons
Niels Arestrup como Grandfather
Tom Hiddleston como Captain Nichols
Benedict Cumberbatch como Major Stewart
Geoff Bell como Sgt. Sam Perkins

Se você já assistiu o filme, continue lendo o post e compartilhe da
minha opinião, se você ainda não viu o filme, pare por aqui!

Read More…

Os homens que não amavam as mulheres

Os homens que não amavam as mulheres é o primeiro livro da trilogia Millennium, do aclamado escritor sueco Stieg Larsson. Larsson infelizmente faleceu muito jovem, aos 50 anos, em 2004 e não pode acompanhar o sucesso mundial de seus livros:

Millennium 1 – Os homens que não amavam as mulheres (Män som hatar kvinnor)
Millennium 2 – A menina que brincava com fogo (Flickan som lekte med elden)
Millennium 3 – A rainha do castelo de ar (Luftslottet som sprängdes)

O primeiro e o segundo livro tiveram seus títulos traduzidos do sueco, enquanto o terceiro livro, em uma tradução livre seria ‘O castelo de ar que explodiu’. O primeiro livro da trilogia já foi adaptado ao cinema em duas versões. A produção sueca saiu em 2009, enquanto a produção americana chegou aos cinemas no final de 2011.  Na versão hollywoodiana o filme recebe o nome de ‘The Girl with the Dragon Tattoo’.

Sinopse

Em 1966, Harriet Vanger, jovem herdeira de um império industrial, some sem deixar vestígios. No dia de seu desaparecimento, um acidente fechou o acesso à ilha onde ela e diversos membros de sua extensa família se encontravam. Desde então, a cada ano, Henrik Vanger, o velho patriarca do clã, recebe uma flor emoldurada — o mesmo presente que Harriet lhe dava, até desaparecer ou ser morta. Henrik está convencido de que ela foi assassinada – quase quarenta anos depois o industrial contrata o jornalista Mikael Blomkvist para conduzir uma investigação particular. Mikael, que acabara de ser condenado por difamação contra o financista Wennerström, preocupa-se com a crise de credibilidade que atinge sua revista, a Millennium. Henrik lhe oferece proteção para a Millennium e provas contra Wennerström, se o jornalista consentir em investigar o assassinato de Harriet. Mas as inquirições de Mikael não são bem-vindas pela família Vanger.

Ficha Técnica

Título Original … The Girl with the Dragon Tattoo
Direção … David Fincher
Lançamento … 2011
Nacionalidade … EUA
Gênero … Suspense / Policial
Duração … 158 min

Elenco

Daniel Craig como Mikael Blomkvist
Rooney Mara como Lisbeth Salander
Christopher Plummer como Henrik Vanger
Stellan Skarsgard como Martin Vanger

Se você já assistiu o filme, veja o post completo para comparar suas impressões com as minhas, além de outras informações sobre a trilogia.

Read More…

Previous Posts Next Posts