As mil faces de Johnny Depp – Pt 2

Continuando a primeira parte de filmes da carreira de Johnny Depp, agora você acompanha a segunda parte de filmes, contendo os mais recentes.

as-mil-faces-johnny-depp-pt2

As mil faces de Johnny Depp – Pt 1

Johnny Depp é certamente um dos atores que chama a atenção pelas caracterizações nos filmes em que atuou. Aqui você acompanha um copilado em duas partes dos filmes onde Johnny Depp está bem diferente de sua aparência normal. Começando pelo clássico ‘Edward Mãos de Tesoura’ que eu assisti ainda criança, lá pelos oito ou nove anos, já que o filme é de 1990. Apesar de ser o papel que lançou Depp, este já era o  quarto filme de sua carreira que acredite, começou em um filme de Fred Krueger.

as-mil-faces-johnny-depp-pt1

Chocolate

Faz muito tempo que eu conheço este filme, mas me recusava a alugá-lo pois podia jurar que o protagonista era Antonio Banderas. Talvez tinha esta sensação por este visual breguíssimo do Johnny Depp a la Latin Lover. Ao lado de Johnny Depp está a sensualíssima Julliet Binoche, que é certamente a encarnação do estereótipo que fazemos da mulher francesa. Sempre sensual, lasciva, libidinosa, provocante, permissiva, insinuante, sedutora, tudo 24 horas por dia. A cada palavra, um olhar, um movimento labial, um mistério no ar.

Sabe aquela lista de 10 personalidades que sua esposa ou seu esposo permitiria uma traição caso essa situação impossível pudesse acontecer? Pois bem, assista Chocolate e prepare-se para atualizar sua lista.

Sinopse

Vianne Rocher (Juliette Binoche), uma jovem mãe solteira, e sua filha Anouk(Victorie Thivisol), são as mais novas moradoras do vilarejo (fictício) de Lansquenet-Sous-Tannes no interior da França. Lá decidem abrir uma loja de chocolates que funciona todos os dias da semana. Além da cidade possuir pouquíssimos moradores, a população não é muito receptiva com seus ‘forasteiros’ e vivem reprimidos sob um regime cristão que determina a postura e conduta de seus moradores. Quando Vianne decide não participar das missas locais, acaba se tornando automaticamente mal quista por parte dos moradores. Assim Vianne terá que conquistar cada morador, um a um, para que sua pequena loja de chocolates prospere.

Curiosidades

O vilarejo de Lansquenet-Sous-Tannes não existe de fato. As filmagens foram rodadas no pequeno vilarejo de Flavigny-sur-Ozerain na Borgonha, França e na Rue De L’Ancienne Poste em Beynac-et-Cazenac no rio Dordogne em Dordogne, na França. As cenas do rio foram feitas no lago Fonthill em Fonthill Bishop, Wiltshire, Inglaterra. As cenas internas no Shepperton Studios, em Surrey, Inglaterra.

A linda e fofa atriz infantil Victoire Thivisol, que antes de chocolate ganhou um prêmio de Melhor Atriz no Festival de Veneza, pelo filme Ponette, só fez um único filme após Chocolate. ‘Les grands s’allongent par Terre’. Quando o filme foi lançado ela tinha 9 anos, hoje tem 21.

Ficha Técnica

Título Original … Chocolat
Origem … Inglaterra/França
Gênero … Romance
Duração .. 121 min
Lançamento … 2000
Direção … Lasse Hallström
Roteiro … Robert Nelson Jacobs

O filme é baseado no romance homônimo da escritora britânica Joanne Harris. É uma belíssimo filme, excelente para assistir a dois. Destaque para a belíssima atuação de Judi Dench, como sempre. De Alfred Molina no papel do chatíssimo e conservador Comte de Reynaud, além de Lena Olin no papel da doce desajustada Josephine Muscat. Da diva do cinema Leslie Caron e da eterna Trinity (trilogia Matrix), Carrie-Anne Moss.

Elenco

Juliette Binoche como Vianne Rocher
Victoire Thivisol como Anouk
Johnny Depp como Roux
Judi Dench como Armande Voizin
Alfred Molina como Comte de Reynaud
Leslie Caron como Madame Audel
Carrie-Anne Moss como Caroline Clairmont
Lena Olin como Josephine Muscat

Ps: Fiz uma lista de uns 26 filmes de acervo para locar. Em determinado momento, a proprietária da locadora me diz assim: Esse Chocolate não achei, serve este ‘Como Água para Chocolate’? O que você responderia diante de uma pergunta tão, tão, tão digamos inusitada?

A Invenção de Hugo Cabret

Hugo Cabret sem dúvida é um filme que eu deveria ter visto em 3D em uma tela de cinema bem gigante, infelizmente deixei passar. A beleza do filme é tamanha que em diversos momentos o filme parece um longa de animação. Mesmo assistindo o filme em 2D, fica evidente como o filme foi especialmente produzido para ser visto em 3D. Sacha Baron Cohen está irreconhecível no papel do Inspetor da Estação, quem não ficar atento esquece que ele protagonizou os filmes Borat e Bruno. Chloë Moretz continua me apaixonando como atriz, você não demora 10 segundos para criar uma simpatia com a personagem. Dirigido por ninguém menos que o mestre Martin Scorsese (Ilha do Medo, Os Infiltrados, Gangues de Nova York, Os Bons Companheiros, Taxi Driver). Pela primeira vez o Brasil foi mais inteligente no título do filme, ‘A Invenção de Hugo Cabret’ é a tradução literal do livro infantil The Invention Of Hugo Cabret, escrito por Brian Selznick.

Sinopse

Paris, anos 30. Hugo Cabret (Asa Butterfield) é um órfão que vive escondido nas paredes da estação de trem. Ele guarda consigo um robô quebrado, deixado por seu pai (Jude Law). Um dia, ao fugir do inspetor (Sacha Baron Cohen), ele conhece Isabelle (Chloë Moretz), uma jovem com quem faz amizade. Logo Hugo descobre que ela tem uma chave com o fecho em forma de coração, exatamente do mesmo tamanho da fechadura existente no robô. O robô volta então a funcionar, levando a dupla a tentar resolver um mistério mágico.

Ficha Técnica

Título Original … Hugo
Gênero … Aventura Dramática
Duração … 126 min
Lançamento … 2012
Direção … Martin Scorsese
Roteiro … John Logan (baseado na obra de Brian Selznick)
Produção … Johnny Depp
Nacionalidade … USA

Elenco

Ben Kingsley como Papa Georges / Georges Méliès
Sacha Baron Cohen como Station inspector
Asa Butterfield como Hugo Cabret
Jude Law como Pai de Hugo Cabret
Chloë Grace Moretz como Isabelle
Ray Winstone como Tio Claude
Emily Mortimer como Lisette
Helen McCrory como Mama Jeanne
Christopher Lee como Monsieur Labisse

Se assistiu o filme, pode continuar no post e ver minha opinião sobre o filme, além de algumas curiosidades que possam ter ficado.

Read More…

Natalie Portman, Johnny Depp e Paul McCartney

Quando fiz um post falando sobre o clipe da canção ‘My Valentine’ do Paul McCartney com participação da bela Natalie Portman, não sabia que havia uma versão feita com outro ator que gosto bastante: Johnny Depp. Existem na realidade três versões do clipe da canção, uma com Portman sozinha, uma com Depp sozinho e a melhor de todas, com os dois juntos. Na realidade são as mesmas imagens, mas na versão onde os dois aparecem juntos, a edição ficou muito mais rica, com super closes que dão uma dramaticidade infinitamente maior.

Natalie Portman e Johnny Depp

Johnny Depp

Keyframes

Resolvi separar as imagens mais marcantes do clipe e chamar de Keyframes, que são os pontos principais de uma animação ou vídeo.

Piratas do Caribe – A trilogia de quatro, cinco e seis…

Dia 20 de maio, chegará as telas dos cinemas de todo o mundo, o quarto filme da franquia ‘Piratas do Caribe’ (Pirates of the Caribbean), a trilogia que virou quadrilogia (ou tetralogia).

A Trilogia

Em 1990 começaram as primeiras tentativas de escrever um roteiro inspirado no parque temático ‘Piratas do Caribe’ no Magic Kingdom Disney Orlando, mas foi rejeitado pelo produtor que achou se tratar de mais uma história de piratas sem grandes novidades. Doze anos se passaram para que em 2002 um roteiro fosse reescrito, desta vez por Stuart Beatlie. Chamaram um cara que entendia do assunto, afinal, para você ter uma idéia, são dele os roteiros do excelente ‘Colateral’, o surpreendente ‘Fora de Rumo’ e enigmático ‘Australia’.

Stuart Beatlie escreveu o primeiro roteiro de Piratas do Caribe: A Maldição do Pérola Negra (Pirates of the Caribbean: The Curse of the Black Pearl) quando a Walt Disney Pictures® trouxe para o projeto os escritores Ted Elliott e Terry Rossio que participaram do primeiro filme e deram continuidade com Piratas do Caribe: O Baú da Morte (Pirates of the Caribbean: Dead Man’s Chest) e Piratas do Caribe: No Fim do Mundo (Pirates of the Caribbean: At World’s End). Os três primeiros filmes de aventura fantástica foram dirigidos em parceria entre Gore Verbinski e Rob Marshall, com produção executiva do excelente Jerry Bruckheimer que traz nas costas sucessos como: Top Gun, A Rocha (The Rock), Maré Vermelha (Crimson Tide), Con-Air, Armageddon, o excelente ‘Inimigo do Estado’ (Enemy of the State), 60 Segundos (Gone in 60 Seconds), Falcão Negro em Perigo (Black Hawk Down), Pearl Harbor, Piratas do Caribe (Pirates of the Caribbean), Rei Arthur (King Arthur), O Príncipe da Pérsia (Prince of Persia).

O Spin-Off

Ao final de ‘Piratas do Caribe: No fim do Mundo’Bruckheimer havia declarado que a franquia havia se encerrado com a trilogia, porém, já existia rumores da possibilidade do que chamam de um spin-off, um roteiro fora da trilogia (já andei lendo matérias sobre Piratas do Caribe 5 e 6). Johnny Depp se tornou o ator mais bem pago de Hollywood quando assinou contrato para o quarto filme da franquia, Piratas do Caribe: Navegando em Águas Misteriosas (Pirates of Caribbean: On Stranger Tides), com um contrato de US $ 55 milhões.  Se levarmos em consideração que a trilogia já arrecadou US $2,68 bilhões dólares em todo o mundo e que muito desse sucesso é responsabilidade de Depp, nem é tanto assim.

Johnny Depp

Na pele de Jack Sparrow, Depp certamente incorporou o maior papel de sua vida até agora. Sem medo de errar, Depp é um dos maiores atores do mundo, mas quando incorpora o pirata Jack Sparrow, parece usar todas as suas cartas de uma só vez. Ele faz o galã, o maluco, o idiota e o palhaço, tudo ao mesmo tempo e vagueia entre suas personagens com uma simples mudança de expressão facial. É estranho como Piratas do Caribe tinha tudo para se tornar mais um filme idiota de sessão da tarde feito pela Disney Pictures, mas Johnny Depp conseguiu colocar o filme em outro nível. Claro que os efeitos especiais são excelentes, mas um pirata que usa rimel, faixinha vermelha na cabeça, colares que foram comprados de algum ambulante e um monte de aneizinhos na mão e mesmo assim parecer mais macho que todos os outros piratas mal encarados, é de se levar em consideração. Muitas das características da personagem foram do próprio Depp, como os dentes de ouro, que dizem, ter sido uma exigência. Quem também ajudou na caracterização do pirata Jack Sparrow foi o talentoso e singular Tim Burton e não poderia ser diferente.

O livro que inspirou o filme

O quarto filme da franquia, Piratas do Caribe: Navegando em Águas Misteriosas é baseado no livro ‘On Stranger Tides’, escrito por Tim Powers em 1987 e teve seus direitos adquiridos em 2009 pela Walt Disney Pictures. O livro traz uma personagem chamado ‘Jack Shandy’, mas que não tem semelhanças com o personagem Jack Sparrow, dizem os envolvidos (apesar das semelhanças entre a obra literária e os filmes da trilogia). Alguns sites até citam que o nome Jack Sparrow foi uma homenagem a obra de Tim Powers, o que não é oficial. No mínimo podemos dizer dessa fonte eles beberam.

O livro traz o personagem Barba Negra, um dos piratas mais famosos que já existiu além da ficção. Uma das características do livro de Powers é justamente a mistura de ficção e realidade. Barba Negra (Blackbeard), nascido Edward Teach foi um pirata muito famoso nascido em 1680. Seu navio, o ‘Queen Anne’s Revenge’ era um navio mercante francês, o ‘La Concorde’, de 300 toneladas,capturado em 1716, o qual o sanguinário pirata transformou em uma verdadeira fortaleza marinha agregando 40 canhões a embarcação, tornando-se uma lenda nos sete mares. Barba Negra foi assassinado e decapitado em 1718. O naufragado ‘Queen Anne’s Revenge’ foi encontrado em 1996 no litoral da Flórida, a uma profundidade aproximada de 10 metros. No livro, Powers fala de piratas, zumbis, sereias e vudu, tudo ao mesmo tempo, imagina se não iria fazer sucesso.

Piratas do Caribe: Navegando em Águas Misteriosas


O quarto filme tem estréia mundial agendada para 20 de maio (daqui a 5 semanas). A bela Keira Knightley não participa deste filme, agora quem faz o par romântico com Johnny Depp é Penélope Cruz, que nunca achei fazer jus ao que falavam de sua beleza, mas que neste papel está muito sedutora. No filme o Capitão Jack Sparrow retorna para embarcar em uma nova aventura, a bordo do ‘Queen Anne’s Revenge’, o navio do lendário Barba Negra, pai da enigmática Angelica (Penélope Cruz), com quem Sparrow compartilha um passado misterioso. Ele não sabe se ela o ama de verdade ou apenas o seduz, para que ele a leve até a, tão procurada, fonte da juventude.

A trilha sonora é novamente assinada pelo excelente Hans Zimmer, mas existe outro músico envolvido no filme. O ‘Rolling Stones’ Keith Richards vem na pele de quem? de quem? Só podia, pai de Jack Sparrow. Afinal, a loucura precisa ser genética.

Elenco

Johnny Depp como Jack Sparrow: o ex-capitão do Pérola Negra, que agora está em busca da Fonte da Juventude.
Penélope Cruz como Angélica: filha de Negra e de interesse amoroso Sparrow.
Ian McShane como Barba Negra: o capitão pirata do ‘Queen Anne’s Revenge’ que quer recuperar sua juventude encontrando a Fonte da Juventude.
Geoffrey Rush como Capitão Hector Barbossa: um antigo pirata capitão, agora um corsário na corte do Rei George II e capitão do HMS Providence.
Kevin McNally como Joshamee Gibbs: primeiro companheiro de Sparrow, sócio e melhor amigo.
Richard Griffiths como o Rei George II: governante do Império Britânico.
Stephen Graham como Scrum: um pirata que integram o ‘Queen Anne’s Revenge’.
Greg Ellis como Tenente Theodore Groves
Damian O’Hare como Tenente Gillette
Gemma Ward como Tamara, uma sereia.
Sam Claflin como Philip Swift, um fiel missionário.
Keith Richards como Capitão Teague: é o pai de Jack Sparrow.
Astrid Bergès-Frisbey como Syrena, uma sereia.

Se depender dos posters do filme, já é mais um sucesso garantido. Segue abaixo cada um deles.

 

Quer ter estes posters em alta resolução? Então aproveita que eu sou um cara legal.

Download Posters

Cenas




Next Posts