Your Highness

Eu me comprometi no último post a falar novamente da Natalie Portman. Afinal foram três filmes que ela estrelou em 2011: ‘As Coisas Impossíveis do Amor’ (The Other Woman), Thor e agora Your Highness (Em tradução livre: Sua Alteza). Finalmente ela volta a estrelar uma comédia. A última e única experiência anterior foi há 11 anos, em Zoolander (recomendo).

Como ainda não sei o título oficial que o filme terá no Brasil, vamos tratar pelo original.

O Filme

Prestes a se casar Fabious (James Franco) tem sua noiva, Belladonna (Zooey Deschanel), capturada em pleno altar pelo feiticeiro Leezar (Justin Theroux). Ao lado de seu irmão Thadeous (Danny McBride), um cavaleiro não lá muito habilidoso, eles decidem ingressar em uma aventura para salvar Belladona. Para isso, visitam o grande sábio Feiticeiro, que lhes dá uma bússola mágica que os levará até a espada lendária do Unicórnio, em um labirinto protegido por um Minotauro. Porém eles acabam capturados por Ninfas que os levam até seu líder Marteetee (John Fricker), um feiticeiro malígno que pretende mata-los, assim como fez com os pais de Isabel (Portman) que resolve salva-los. Na verdade ela está em busca da bússula que eles carregam. No fim todos estão em busca de um mesmo objetivo, combater a galera do mal, então obviamente vão unir forças para isso.

Críticas

O filme recebeu muitas opiniões negativas de críticos americanos. Obviamente o filme se trata de uma comédia pastelão. Esta classificado no gênero Aventura/Comédia, quase ao estilo de Piratas do Caribe, mas eu acredito que Piratas do Caribe tenha mais um bom humor, uma ironia que necessariamente ser um filme de comédia. Muitas vezes as pessoas não gostam de um filme, por simplesmente esperar uma coisa e acabar vendo outra. É o mesmo fenômeno que acontece com filmes que não possuem um fim bem definido. As pessoas esperam sempre um grande desfecho, um ponto final, se alguma resposta não foi dada, tudo fica comprometido. Obviamente que vou assistir ao filme, para que eu mesmo possa ter minha opinião.

Ficha Técnica

Título no Brasil … Your Highness
Título Original … Your Highness
País de Origem … EUA
Gênero … Aventura/Comédia
Tempo de Duração … 102 minutos
Ano de Lançamento … 2011
Estréia no Brasil … 26/08/2011
Estúdio … Universal Pictures
Direção … David Gordon Green

Mesmo diretor de Segurando as Pontas, outra comédia com James Franco.

Elenco

Danny McBride … Thadeous
James Franco … Fabious
Rasmus Hardiker … Courtney
Natalie Portman … Isabel
Toby Jones … Julie
Justin Theroux … Leezar
Zooey Deschanel … Belladonna

Estréia

O filme já estreou nos cinemas americanos no mês passado, mas no Brasil, até onde me informei, a data de estréia é dia 26 de agosto, vai demorar um pouquinho.

Posters

Trailer

Tudo Pode dar Certo (!?)

Boris Yellnikoff (Larry David) é um velho rabugento que tem o hábito de insultar seus alunos de xadrez, mesmo que sejam crianças. Ex-professor da Universidade de Columbia, ele considera ser o único capaz de compreender a insignificância das aspirações humanas e o caos do universo, ele não se coloca como a pessoa mais inteligente do mundo, mas ao menos não convive com ninguém mais inteligente que ele.

Como todo filme de Woody Allen, é baseado no diálogo e usa um recurso também interessante que Allen constuma usar, o protagonista, em algumas poucas vezes, conversa com o expectador, no maior estilo ‘Curtindo a Vida Adoidado’, lembra quando Ferris (Matthew Broderick) conversa olhando para a câmera? Uma diferença neste filme é que, as pessoas ao redor, percebem que ele está falando com alguém, mas não entendem exatamente com quem.

Boris é um personagem no mínimo esquisito. Sofre de pânico, TOC e diversas outras doenças e esquisitices. Apesar do extremismo no pensamento de Boris, o filme lhe causa grandes reflexões sobre a vida, sobre as pessoas, sentimentos e tudo mais. Claro que extremos nunca funcionaram, mas é assim, com tudo mostrado de forma tão exagerada, que podemos enxergar o que deveria ser uma sutileza.

A história de Boris, de uma maneira bastante cliché, começa a sofrer mudanças, do convívio com a também estranha, porém bela e meiga, Melodie St. Ann Celestine (Evan Rachel Wood), que ao fungir de casa e sem ter para onde ir, implora para ficar um tempo na sua casa, ele atende ao pedido a contragosto, ela vai ficando e aos poucos ambos vão aprendendo a conviver entre eles.

Talvez uma das coisas mais bacanas que o Woody Allen faz, é esta coisa de mostrar muito a cidade, o modo de vida, a sensação de como é viver no lugar em que o filme vai acontecendo.

As reviravoltas na história são responsáveis pelos momentos engraçados. É um ótimo filme para assistir em uma tarde chuvosa e fria.

Ficha Técnica

título original … Whatever Works
gênero … Comédia
duração … 1 hr 32 min
ano de lançamento … 2009
direção: Woody Allen
roteiro: Woody Allen
fotografia: Harris Savides

Elenco

Evan Rachel Wood … Melodie St. Ann Celestine
Patricia Clarkson … Marietta (mãe de Melodie)
Larry David … Boris Yellnikoff
Ed Begley Jr. … John
Henry Cavill … Randy James
Willa Cuthrell-Tuttleman … Enid
John Gallagher Jr. … Perry
Jessica Hecht … Helena (Se você não a reconhecer, é a Susan Bunch de Friends, a mulher da ex-esposa do Ross, Carol Wilick)
Lyle Kanouse … Ed
Oleg Krupa … Morgenstern
Carolyn McCormick … Jessica
Michael McKean … Joe
Christopher Evan Welch … Howard

Imagens

O filme tem uma beleza fotográfica muito interessante. Especialmente as cenas gravadas dentro do apartamento de Boris, com um tom desaturado, para dar um ‘ar’ ainda mais melancólico a Boris, contrastando com as cores e jovialidade de Melodie.  Um estilo meio ‘Amelie Poulain’.

Em outros momentos, tudo é muito mais colorido, acompanhando sempre, o tom de dramatização da história.

Apesar de não ser nada parecidas, durante muitas vezes no filme, Evan Rachel Wood me lembrou a bela Brittany Murphy, talvez seja o jeito meio menina, meio moleca, da personagem.

Hoje no Altas Horas, Bruno Mazzeo apareceu com uma camiseta com a cara do rabugento Boris.

Gente Grande [Filme]

Se você não gosta do perfil das comédias do Adam Sandler, nem continue o post. Gente Grande é mais uma comédia exatamente com a mesma receita de tantas outras, mesmo elenco e Adam Sandler como protagonista. Mas mesmo assim, divertido. Afinal, comédia é para rir, roteiro, fotografia, isso e aquilo, prefiro deixar para outro gênero.

Gente Grande é um filme para ver com a família, piadas leves e trapalhadas da escola de ‘Corra que a Polícia vem aí’. Apesar de algumas críticas sobre o filme não ser tãããããão engraçado, fica claro para bom entendedor, que Adam Sandler quando produz esse tipo de filme, tá curtindo o negócio, sem esperar grandes elogios.

O filme tem cenas impagáveis e como tantos outros, traz aquela mensagem bonitinha no fim.

Para você que quer ver um filme com a gurizada toda, fica a dica. Destaque para a atuação de Maya Rudolph que protagoniza algumas cenas impagáveis.

Ficha Técnica

título original … Grown Ups
gênero … Comédia
duração … 1 hr 42 min
ano de lançamento … 2010
distribuidora … Sony Pictures Releasing
direção … Dennis Dugan
roteiro … Adam Sandler e Fred Wolf
produção … Adam Sandler e Jack Giarraputo
música … Rupert Gregson-Williams
fotografia … Theo van de Sande
direção de arte … Alan Au
figurino … Ellen Lutter
edição … Tom Costain
efeitos especiais … Framework Studio

Elenco

Adam Sandler … Lenny Feder
Kevin James … Eric Lamonsoff
Chris Rock … Kurt McKenzie
Rob Schneider … Rob Hilliard
David Spade … Marcus Higgins
Salma Hayek … Roxanne Chase-Feder

Meu Malvado Favorito

Desta vez, o título em português até faz sentido, quando na verdade você precisa escolher, qual é o seu ‘Malvado Favorito’. Talvez o primeiro desenho que não tenha um Herói ou um mocinho. A briga desta vez é pela maior maldade, entre dois ‘terríveis’ personagens do mal.

O longa de animação produzido pela mesma produtora de A Era do Gelo é uma das melhores de 2010, mas infelizmente, pela primeira vez no Brasil, escorregaram feio na escolha dos dubladores. A dupla mais sem graça do país, Leandro Hassum e Marcius Melhem dividindo a dublagem de Gru e Vetor na versão brasileira, me fez lembrar o tempo inteiro de ‘Os Caras de Pau’, certamente o programa mais idiota que a Globo já fez nos últimos anos. Nem o Zorra Total é tão ruim.

Suas vozes são muito marcantes e é impossível não lembrar o tempo todo quem está dublando. Sinceramente, pela primeira vez o Brasil errou feio em um longa de animação, quase estragou o filme que foi salvo pelos divertidos Mínions (abaixo) e pela impagável Agnes.

Você também vai acabar gostando das maldades naturalmente executadas pelo vilão Gru. Não vou falar mais do filme, você precisa ver e rir um pouco, faz bem.

Ficha Técnica

título original … Despicable Me
gênero … Animação
duração … 1h35m
ano de lançamento … 2010
site oficial … www.meumalvadofavorito.com.br
estúdio … Illumination
distribuidora … Universal Pictures
direção … Pierre Coffin, Chris Renaud
roteiro … Ken Daurio e Cinco Paul
produção … John Cohen, Janet Healy e Christopher Meledandri
direção de arte … Eric Guillon
efeitos especiais … Mac Guff Ligne

Elenco

Steve Carell … Gru
Julie Andrews … Mãe de Gru
Leandro Hassum … Gru – BR
Jason Segel … Vector
Marcius Melhem … Vetor – BR

A Ressaca

Mais um filme de John Cusack, que apesar de algumas escorregadas na carreira, gosto dele como ator. Se você não acha o mesmo, precisa ver ele em:

2008 – Guerra S.A. (War, Inc.)
2007 – Nossa Vida sem Grace (Grace is Gone)
2007 – 1408 (1408)
2007 – Ensinando a Viver (The Martian Child)
2005 – Procura-se um amor que goste de cachorros (Must love dogs)
2003 – O Júri (Runaway Juri)
2003 – Identidade (Identity)
2001 – Os Queridinhos da América (America’s Sweethearts)
2001 – Escrito nas Estrelas (Serendipity)
2000 – Alta Fidelidade (Alta Fidelidade)
1999 – Quero Ser John Malkovich (Being John Malkovich)

Destaque para ‘Nossa vida sem Grace’ e ‘Ensinando a Viver’, dois belos filmes.

Mas voltando A Ressaca, as sinopses contam uma parte importante, mas que é necessária para instigar você a alugar o filme. Adam (John Cusack) foi abandonado por sua namorada. Lou (Rob Corddry) adora uma festa, mas não consegue encontrar nenhuma. Nicky (Craig Robinson) tem sua vida controlada pela esposa e Jacob (Clark Duke), sobrinho de Adam, é fanático por videogame e, por causa disto, raramente sai de casa. Eles são amigos e, após uma noite de muita bebedeira, acabam na banheira de hidromassagem de um resort de esqui, onde os três amigos costumavam ir curtir o festival de inverno. Sem saber como, eles acordam em pleno 1986.

É impagável a cena em que eles começam a perceber que voltaram no tempo, com características ao melhor estilo “Best 80’s”. Aqueles que todo mundo adora dizer que não existem mais. O estilo brega, as músicas bregas, fita K7, walkman, celular tijolão e por aí vai…

Vou tentar disponibilizar a Trilha Sonora.

Ficha Técnica

título original … Hot Tub Time Machine
gênero … Comédia
duração … 1h40m
ano de lançamento … 2010
site oficial: … hottubtimemachinemovie.com
estúdio … MGM
distribuidora … Imagem Filmes
direção … Steve Pink
roteiro … Josh Heald, Sean Anders e John Morris
referência … Baseado em história de Josh Heald
produção … John Cusack, Grace Loh, Matt Moore e John Morris
música … Christophe Beck
fotografia … Jack N. Green
direção de arte … Kelvin Humenny e Jeremy Stanbridge
figurino … Dayna Pink
edição … George Folsey Jr. e James Thomas
efeitos especiais … Mr. X

Elenco

John Cusack … Adam
Clark Duke … Jacob
Craig Robinson … Nick
Rob Corddry … Lou
Sebastian Stan … Blaine
Lyndsy Fonseca … Jennie
Crispin Glover … Phil
Charlie McDermott … Chaz
Lizzy Caplan … April

Kick Ass – Quebrando Tudo

O roteiro parecia seguir a mesma receita de Defendor. Uma pessoa comum (com um toque de insanidade) que resolve combater o crime e obviamente, acaba se fú. Mas em pouco tempo Kick Ass toma outro rumo. O filme é politicamente incorretíssimo, onde mais você veria uma menina que aparentemente tem 10 anos de idade, matando pessoas ao estilo Kill Bill?

Aliás, Mindy Macready/Hit Girl não pode ser de verdade. Se você não se apaixonar por essa menina, você tem algum problema. Ela tem a fúria e crueldade de Kill Bill, a habilidade manual de V de Vingança e o estilo de Trinity em Matrix, tudo isso em uma versão Kids. Como diz um dos personagens do filme: ‘Me apaixonei, eu espero ela crescer e prometo que serei fiel enquanto esperar’…rs

Todas as pessoas na internet que falam deste filme, exaltam a interpretação de Chloe Moretz, que tem um jeitinho a la Hermione Granger (Emma Watson) numa versão 2.0. A menina está atualmente com 13 anos, mas tem no currículo 14 longas, é mole?

Kick Ass conta a história de um garoto que acredita que com vontade, determinação e espírito de justiça, pode virar um Super Herói. E quem poerá dizer que não é uma boa idéia? Bom, veja o filme e você terá a resposta. Com várias referências sutis a outras histórias de Super Heróis, o filme também abusa de questões atuais como internet, YouTube, iPhone, FaceBook, o que em um futuro breve vai perder completamente a graça quando você assistir o filme na Sessão da Tarde.

Algum Geek poderia esclarecer melhor as referências, mas uma simples é o uniforme de Big Daddy (Nicolas Cage), uma clara fusão entre o uniforme dos Batman’s atuais e o clássico de Adam West dos anos 60. Além disso o filme faz uma paródia de Batman e Robin e Homem Aranha, com as clássicas cenas em cima dos prédios. É uma mistureba de referências pops visuais e auditivas, transitando entre o hit ‘Crazy’ do Gnarls Barkley, a trilha do seriado Banana Split, o zoom dos faroestes de Sergio Leone, o assobio da trilha de ‘Por um Punhado de Dólares’ e até as gravuras de ‘Andy Warhol’.

Você talvez não entenda o filme de cara, vai chocar com seus valores a menina assassina, mas em determinado momento, você terá as informações que precisa, para entender todo ódio e motivação e vai achar que é o certo a ser feito.

A frase ‘Sem poderes, não há responsabilidade’, é a antítese da história de Peter Parker. Para quem, assim como eu, detestou todos os filmes da franquia, Kick Ass é literalmente um chute na bunda da péssima produção de Homen-Aranha.

Pelo que eu soube, Matthew Vaughn (diretor, produtor e roteirista) bancou o projeto sozinho, após ser recusado pelos estúdios por onde passou. Sua experiência como produtor de Snatch – Porcos e Diamantes ao lado de Guy Ritchie, com certeza, foi muito válida.

Outro Kick Ass para os estúdios. Ele conseguiu levantar os 30 milhões em um evento e após finalizado, vendeu os direitos a Universal, por um valor bem maior que havia pedido anteriormente.

Ficha Técnica

título original: Kick Ass
gênero: Aventura
duração: 1h57m
ano de lançamento: 2010
site oficial:  www.kickass-themovie.com
estúdio: Lionsgate – Marv Films – Plan B Entertainment
distribuidora: Lionsgate (EUA) – Paramount Pictures (Brasil)
direção: Matthew Vaughn
roteiro: Jane Goldman – Matthew Vaughn (baseados nos quadrinhos de Mark Millar e John Romita Jr.)
produção: Adam Bohling – Tarquin Pack – Brad Pitt – David Reid – Kris Thykier – Matthew Vaughn
música: Marius De Vries – Ilan Eshkeri – Henry Jackman – John Murphy
fotografia: Ben Davis
direção de arte: Joe Howard – Sarah Stuart – John King (supervisor)
figurino: Sammy Sheldon
edição: Eddie Hamilton – Jon Harris – Pietro Scalia

Elenco

Aaron Johnson … Dave Lizewski / Kick-Ass
Nicolas Cage … Damon Macready / Big Daddy
Chloe Moretz … Mindy Macready / Hit Girl
Christopher Mintz-Plasse … Chris D’Amico / Red Mist
Mark Strong … Frank D’Amico

Previous Posts Next Posts