Bem Me Quem, Mal Me Quer

Bem Me Quem, Mal Me Quer ou À la folie… Pas du Tout (na tradução livre seria algo como: ‘Na loucura…De modo algum’), é o primeiro longa da carreira da atriz e diretora Laetitia Colombani. E a estreia de Colombani começou com o pé direito. A escolha de Audrey Tautou foi muito acertada para o papel de uma protagonista de personalidade dúbia. Com suas feições angelicais, que fizeram sucesso no inesquecível ‘O Fabuloso Destino de Amélie Poulain’, Tautou é a atriz perfeita para lhe colocar em dúvida sobre a realidade, com uma imagem acima de qualquer suspeita.

bem-me-quer-mal-me-quer

O filme tem um plot twist fantástico e não cabe a mim lhe trazer qualquer spoiler, portanto me limitarei a indicar o filme como um ótimo thriller. Talvez o ponto mais mediano do filme seja o ator Samuel Le Bihan, que passa muito anônimo. Não é o ator que você conhece e sai pesquisando sua filmografia.

Bem Me Quem, Mal Me Que inicia com Angélique (Audrey Tautou) em uma floricultura, combinando com sua aura de doçura angelical. Angélique é uma artista plástica que trabalha em uma lanchonete durante o dia, além de cuidar da casa de uma família enquanto viajam. Ela desenvolve uma grande paixão pelo seu vizinho, o médico Loïc (Samuel Le Bihan). A despeito da opinião de seus amigos, Angélique persiste na idéia de que Loïc também a ama da mesma maneira, transformando o que de início parecia ser relacionamento amoroso em uma perigosa obsessão.

Ficha Técnica

Título Original … À la folie… Pas du Tout
Origem … França
Gênero … Romance / Suspense
Duração .. 92 min
Lançamento … 2003
Direção … Laetitia Colombani
Roteiro … Laetitia Colombani

Elenco

Audrey Tautou como Angélique
Samuel Le Bihan como Loïc Le Garrec
Isabelle Carré como Rachel
Clément Sibony como David

O Fabuloso Destino de Amélie Poulain

Originalmente escrevi este post em dezembro de 2008 quando comprei o dvd do filme, mas resolvi atualizar minhas impressões sobre o filme.

‘O Fabuloso Destino de Amélie Poulain’ já se tornou neste tempo um cult do gênero. Adorado por um perfil de pessoas bem particular, mas que infelizmente avaliam o filme muito superficialmente. Este gênero de filme com um enredo bastante nonsense tem uma grande capacidade de confundir o espectador. De tão absurdo que lhe parece, lhe causa empatia. Afinal é cool ser diferente, não fazer sentido, ser esquisito. Mas este filme, assim como ‘Alice no País das Maravilhas’, ‘O Estranho Mundo de Jack’ carregam um conteúdo bastante profundo e filosófico, muitas vezes abafados por outros atrativos da história ou da sua beleza fotográfica bastante presente em todas essas obras.

‘O Fabuloso Destino de Amélie Poulain’ acontece em torno de pequenos acontecimentos e a forma com a qual em sua delicada e aparente insignificância, são determinantes para alterar os rumos de um fato ou de uma vida toda. A sensação nítida do carrocel sentimental que vivemos ao longo da vida oscilando entre felicidade e tristeza. Nos acostumamos a ver o mundo em grandes proporções, globalizado, conectado e perdemos a capacidade de entender a diferença entre um grito e um susurro.

O filme mostra com uma atmosfera meio surreal a beleza, a inocência, a delicadeza, a benevolência e indulgência da doce e apaixonante Amélie Poulain, uma menininha atrapalhada que se transforma em uma mulher que lhe desperta todos os desejos mais íntimos porém puros de coração. O filme é muito bonito. A qualidade das imagens chamam atenção, motivo que explica as indicações ao Oscar® de Direção de Arte e Fotografia, mesmo sendo um filme estrangeiro.

A série ‘Pushing Daisies’ emprestou muitas idéias deste filme para ser criada. As cores em alta saturação, os closes, a narração da história e essa coisa do esquisito com o belo. Você precisa assistir e ter em casa para guardar para sempre.

‘Amélie Poulain’ é interpretada lindamente e delicadamente pela atriz francesa ‘Audrey Tautou’, caso você não lembre de quem se trata, fica mais fácil lembrar sua participação como protagonista de ‘O Código da Vinci’.

Clique para ampliar!

Ficha Técnica:

Título Original: Le Fabuleux Destin d’Amélie Poulain
Ano de Lançamento: 2001
Gênero: Comédia (?)
Elenco
Audrey Tautou [Amélie Poulain]
Mathieu Kassovitz [Nino Quincampoix]
Rufus [Raphael Poulain]

Curiosidade:

A coloração usada no filme teve inspiração nas obras de um artista plástico brasileiro. O escultor, desenhista, caricaturista, mímico, designer, cenógrafo, escritor, fotógrafo e ator (ufa!) ‘Juarez Machado’, nascido em Joinville/SC porém hoje radicado na França. Muitas coisas são frutos do acaso, Machado conheceu ‘Jean-Pierre Jeunet’ (Diretor do filme) na festa de uma amiga em comum. Jean acabou folheando um livro que Machado havia levado para a festa, com algumas de suas pinturas e Jean se apaixonou pelo trabalho imediatamente. Acabaram descobrindo ainda que eram vizinhos em ‘Montmartre’, um bairro boêmio da cidade de Paris (França).

O bairro é famoso por sua vida noturna e tem outras curiosidades, foi o local frequentado por ‘Monet’ e ‘Van Gogh’. É no bairro de ‘Montmartr’e que fica também o famoso cabaré ‘Moulin Rouge‘.

Prêmios:

– 5 indicações ao Oscar de 2002, nas seguintes categorias: Melhor Filme Estrangeiro, Melhor Direção de Arte, Melhor Fotografia, Melhor Som e Melhor Roteiro Original.

– 2 prêmios no BAFTA, nas seguintes categorias: Melhor Roteiro Original e Melhor Desenho de Produção. Foi ainda indicado em outras 7 categorias: Melhor Filme, Melhor Diretor, Melhor Atriz (Audrey Tatou), Melhor Filme Estrangeiro, Melhor Fotografia, Melhor Trilha Sonora e Melhor Edição.

?

Audrey Tautou

Eu arrumei um bom jeito de assistir bons filmes e gastar menos. Você pega um ator/atriz realmente bom e alugue todos os filmes da sua filmografia. Já fiz isso com diversos atores que eu gosto, Tom Hanks, Natalie Portman, John Cusack, Tim Burton (Diretor), Adam Sandler, Hugh Grant e agora com a Audrey Tautou que na locadora eu tive a grande idéia de misturar com o nome de uma personagem e pedi pelos filmes de Amelie Tautou…

Depois de comprar “Coisas Belas e Sujas” aluguei:

– Albergue Espanhol
Atualizando (21:57) . [06.03.09]:
O filme não tem uma história fantástica, mas também não acho que todos os filmes precisam ter grandes histórias, até mesmo porque a vida não é um filme de Hollywood. Existem aspectos bem interessantes, principalmente como o filme mostra a estranhesa que sentimos diante de uma nova cidade, um novo estado ou um novo país. No início nem conseguimos nos imaginar dentro daquele contexto e tempos depois parece que já pertecemos para aquele lugar, ao ponto de ficar difícil de se despedir. Mostra também a dificuldade de manter um relacionamento vivendo muito distante. E certamente como fazemos escolhas erradas. Gostei do filme e recomendo. Detalhe: assista em Inglês pois como o filme é falado em vários idiomas, tem mais sentido, em português dublaram tudo, fica igual novela da Globo onde indiano fala português.

Ps.: A trilha sonora não é o forte do filme, mas se salva com “No Surprises” do Radiohead.

– O amor não tem preço
– Bem me quer, Mal me quer

Ainda não assisti estes últimos três, mas assim que ver eu deixo minha opinião.

Coisas Belas e Sujas

Faz um tempo que comprei este dvd mas somente agora pude assistir. Apesar de não lembrar exatamente do desfecho da história, eu sei que já havia assistido este filme na tv.

Obviamente, eu não conhecia o filme e comprei por ser estrelado por Audrey Tautou, que já falei aqui, estrelou filmes como “O Fabuloso Destino de Amelie Poulain” e “O Código Da Vinci”. Outro detalhe que me interessou no filme foi o título, achei bem instigante.

E o título é realmente um resumo do filme. Não vou contar nada sobre a hsitória, pois estragaria a trama para quem nunca assistiu, mas em geral o filme mostra uma Londres que obviamente não conhecemos. Em meio a todo aquele glamour londrino, esconde-se verdades que não são contadas. Não sei quanto existe de realidade no filme, mas acredito que a vida dos imigrantes realmente seja assim em países como Inglaterra e Estados Unidos.

Gosto muito da atuação dela no filme, existem muito assuntos fortes que são tratados de forma sutíl, o que causa no espectador uma sensação de muito mais desconforto do que se fossem retratadas de forma mais grosseira e apelativa.

Como diz na capa do filme: “Algumas coisas são muito perigosas para ficar em segredo”

Recomendo.