Saneamento é Básico

Não adianta dizer que não existe um preconceito contra filme nacional, pois existe sim. Eu mesmo confesso que este filme esquentou a prateleira durante muito tempo até que eu consegui convencer minha noiva a assistir. Infelizmente é um fato que o cinema nacional ainda engatinha em comparação aos filmes americanos, britânicos e franceses.

Afinal enquanto no Brasil todo mundo se preocupava em sacanagem, por lá a coisa tocava em outro tom.

Ainda hoje, 90% dos filmes nacionais precisam ter algum apelo sexual e uma enxurrada de palavrões pronunciados silabicamente e de forma enfática: FI-LHA-DA-PU-TAAAAAAA. CA-RA-LHOOOOOO. CA-CE-TAAAAAAA.

Existe porém alguns poucos filmes que apostam em idéias mais inusitadas. É claro que funcionam bem afinal, criatividade é o que não falta para o Brasil, o que precisa é fazer bem feito, sem sexo, favela, violência e pobreza, porque apesar de sermos um país de desigualdades sociais, não é só disso que somos feitos.

Uma dica boa é o filme Saneamento Básico, que como o próprio cartaz diz: “Se é para fazer, melhor fazer bem feito”.

saneamentobasicoO filme é uma crítica velada, inteligente e sutíl ao velho estilo brasileiro de resolver problemas. Para você entender o enredo da história, uma comunidade tenta reinvindicar junto a prefeitura, uma solução para a criação de uma fossa séptica para eliminar o esgoto que corre a céu aberto no seu bairro.

Porém a prefeitura não dispõe de verba para essa obra, mas dispõe de uma verba cultural para a criação de um filme de ficção.

Se essa é a única maneira de levantar uma verba para o bairro, é assim que eles vão tentar mudar a realidade da comunidade.

O filme é muito engraçado, eu não me aguentei de tanto rir com alguns e estereótipos relatados no filme.

Apesar do humor e da crítica levantada o filme mostra também o poder de acreditar em um sonho e como a arte pode transformar as pessoas.

Vale a pena.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *