Iceberg – Duca Leindecker

Acho que era o ano de 1998. Estreava em Porto Alegre um programa de rádio muito diferente, o Pijama Show, comandado por Everton Cunha, mais conhecido como Mr Pi. O Pijama Show talvez tenha sido um dos poucos programas da Rádio Atlântida, onde a programação não seguia nenhuma regra ‘jabalesca’. Foi assim que Mr Pi tocava o que queria e aos poucos apresentou para Santa Catarina, as bandas que viviam do cenário gaúcho. A Cidadão Quem já havia feito música em novela global, já havia gravado com grandes gravadoras, mas as raízes continuavam no Rio Grande. Eu já conhecia a Cidadão Quem, mas era aquela coisa: ouve, gosta, mas não sabe ligar o nome a pessoa, neste caso: música a banda. Passei a ouvir, virei fã, fui atrás das canções.

Sete anos depois, entrei no site da Cidadão Quem, poucas informações. Pensei comigo: ‘Uma banda deste nível, merece um site a altura’. Escrevi um email despretensioso me apresentando. Alguns dias depois, uma resposta. Lembro de pensar que certamente aquele momento, mudaria minha vida de alguma forma. Pouco tempo depois estava encontrando a banda em Santa Catarina, em um show na praia de Penha. E pensar que eu nem sabia que eles haviam recém gravado um álbum acústico, o conhecido ‘Cidadão Quem no Theatro São Pedro’, gravado em Porto Alegre. Sugeri ao produtor que deveríamos desenvolver um projeto específico para o álbum. Ele relutou no início, pois tinha medo de dar uma vida útil muito curta ao site. Acabou aceitando quando disse que faríamos um outro, quando precisasse.

O resultado foi tão positivo que a banda fechou o álbum com mais de 200 shows, em apresentações nacionais e fora do país. O engraçado nesta história é que o Duca, vocalista e guitarrista, não usava mais internet. Ele não tinha perfil no recém famoso Orkut (faz tempo), não usava MSN e pouco respondia emails. Com o sucesso do site, o Duca foi obrigado a participar mais destas novas mídias. Tempos depois, seria por esta mesma internet que aconteceria a parceria entre Humberto Gessinger e Duca Leindecker, na composição da canção ‘A Força do Silêncio’, gravada no álbum ‘7’ e posteriormente a criação do projeto Pouca Vogal. É interessante como de fato, quando olhamos para trás, podemos ver onde a história das nossas vidas vai tomando caminhos diferentes, escolhendo que lado seguir em infinitas encruzilhadas.

Eu ainda fiz outro site para a banda, que ainda está no ar. A produtora se defez, meu contato com o Duca ficou restrito as redes sociais e hoje me resta acompanhar e admirar este ídolo que virou amigo. Em um email que ele me mandou, dizia o quanto gostaria de estar mais perto das pessoas, mas infelizmente esta era a vida que ele havia escolhido. Eu me contento portanto em ver suas conquistas e torcer aqui distante.

Duca é um Midas da arte. Todos os seus projetos e manifestações artísticas funcionam muito bem. Foi assim nas bandas que passou, foi assim na literatura, foi assim como produtor, como compositor de trilhas, como música, como instrumentista, como parceiro musical. Agora ele deixa o Pouca Vogal, um projeto que deu tão certo que certamente durou mais tempo do que ambos planejavam (eu acho). Agora tanto o Duca quanto o Humberto entram em projetos solos. Não é a volta da Cidadão e nem mesmo do Engenheiros, mas o importante mesmo é ter trabalho novo destes caras que eu tanto admiro. Se você ainda não viu, Duca lançou ontem o clipe de ‘Iceberg’, canção que fará parte do álbum ‘Voz, Violão e Batucada’, que chega em abril. Continuando o que fez com o Pouca Vogal, Duca se multiplica e vira muitos: cantando, batucando e tocando o violão, fazendo tapping e tocando com os pés um bombo leguero e um pandeiro, tudo junto e ao mesmo tempo. É o que Humberto talvez definiria como ‘ O Exército de um Homem Só’.

Tapping para quem não sabe é esta técnica que você verá no clipe, onde o músico ‘martela’ notas na escala do instrumento, geralmente usando as duas mãos. Aproveite e curta o clipe muito bonito produzido por Rene Goya Filho, um dos diretores mais importantes do sul do país, diretor na ‘Estação Elétrica’, que lançou mais de uma dúzia de dvds de bandas aqui do sul.

Eu que já tive a chance de ver uma canção sendo composta no quarto de hotel e depois ouvir ela tomando a multidão nos shows, estou feliz em ouvir uma canção nova na voz deste cara tão do bem, um dos vocais mais bonitos que temos no Brasil. Duca é sem dúvida um músico fantástico e está cada vez mais sofisticado e inovador no que faz. Espero que este seja um novo recomeço de mais um grande sucesso, de todos os sucessos que ele já fez.

One Response to Iceberg – Duca Leindecker
  1. [...] já falei sobre o projeto Voz, Violão e Batucada em outro post aqui no site. Mas foi há poucos dias qu... gelonegro.com.br/?p=6922

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *