Enya

Lembro nitidamente da sensação de ouvir a primeira vez uma canção da Enya. Era 1997, ano do lançamento de uma copilação da cantora, intitulada ‘Paint the Sky with Stars’. O nome já era sugestivo, mas a sensação de ouvir aquelas canções, que até hoje não possuem comparativo foi um verdadeiro plot twist musical. De onde vinham aquelas canções? Aquela voz que era difícil identificar? Que língua era aquela? Parecia algo celeste mesmo, como o nome docemente sugeria. Até hoje acho suas canções únicas e fantásticas, mesmo entendendo que aquela voz que ecoa como um coro, são camadas de vocais gravados pela própria Enya.

Aliás, este recurso até onde eu sei, foi utilizado pela primeira vez no álbum ‘A Night of The Opera’, na icônica canção ‘Bohemian Rhapsody’, onde as vozes foram repetidas 80 vezes, dando a sensação de que o refrão era cantado por um coro de vozes. O que Enya faz em suas canções para trazer este ar de coro musical e automaticamente de algo celeste é exatamente o mesmo recurso. Não só as vozes são todas captadas por Enya, como a gravação de todos os instrumentos musicais. Enya conta no entanto com o apoio de Nicky Ryan, que produz os álbuns e de sua esposa Roma Ryan, que escreve as letras em várias línguas. Até hoje Enya já gravou em dez idiomas. O inglês consome a maior parte de suas canções, mas ela já gravou em galês, espanhol, francês, latin e até mesmo em línguas criadas por J.R.R. Tolkien. Ryan inclusive criou um idioma particular, conhecido como Loxian. O idioma é inspirado na língua dos Élfos, personagens contidos nas obras de J.R.R. Tolkien. Canções em Loxian foram gravadas no álbum Amarantine (2005), são elas: ‘Less Than a Pearl’, ‘The River Sings’ e ‘Water Shows the Hidden Heart’.

Mas foi ainda durante o lançamento de Paint the Sky with Stars que Enya cometeu certamente o maior (talvez único?), deslize da sua carreira. Ela foi convidada para compor a trilha sonora original de Titanic, porém recusou. Os fãs da Celine Dion agradecem, afinal catapultou Dion para o estrelato. Certamente perdeu a chance de um Oscar, já que Titanic levou todas as estatuetas das quais foi indicado.

1987: Enya / The Celts

Os primeiros registros da carreira de Enya são de 83, quando integrava uma banda com os outros 8 irmãos, todos músicos de mão cheia, assim como os pais e os tios. O primeiro álbum no entanto foi gravado em 1986 mas lançado somente em 1987, junto com o lançamento da série de televisão The Celts da BBC. Inclusive o álbum foi relançado em 1992 com o nome da série.

1988: Sucesso internacional e Watermark

Apesar do sucesso do primeiro álbum, a fama internacional começaria com Watermark, gravado em 1988. O hit mais importante do álbum era ‘Orinoco Flow’, que muitas vezes é creditado incorretamente como ‘Sail Away’. “Orinoco Flow”. O nome é uma referência ao Orinoco Studios (hoje Miloco Studios ), onde foi criada. A música foi TOP1 no Reino Unido, TOP2 na Alemanha e vendeu 11 milhões de cópias.

1991 – Shepherd Moons

Três anos após o lançamento de Watermark, Enya lança seu terceiro álbum, que vende 12 milhões de cópia e lhe rendeu seu primeiro Grammy Award. É até hoje seu sucesso mais duradouro, ficando 238 semanas na lista dos mais ouvidos da BILLBOARD. O álbum rendeu trilha para inúmeros filmes: L.A. Story (1991), A Revolta dos Brinquedos (Toys – 1992), Green Card – Passaporte para o Amor (Green Card – 1990), Um Sonho Distante (Far and Away – 1992), filme que aluguei recentemente para ver e A Época da Inocência (The Age of Innocence – 1993), filme de Martin Scorsese.

1992-1999: The Celts, The Memory Trees e Paint the Sky with Stars

Em 1992 a versão remasterizada do primeiro álbum de 87 é lançado. Quatro anos após Shepherd Moons, Enya lança um novo álbum de inéditas: ‘The Memory Trees’ (1995), seu primeiro álbum a chegar ao TOP10 nos Estados Unidos. Dois anos depois Paint the Sky with Stars traz uma ‘The Best Of’ com duas canções inéditas: ‘Paint the Sky with Stars’ e ‘Only If’.

2000-2004: A Day Without Rain

Cinco anos sem lançar um disco totalmente de inéditas, em 2000 chega o álbum ‘A Day Without Rain’, se tornando seu maior sucesso nos Estados Unidos, alcançando o TOP2 da BillBoard. O primeiro single ‘Only Time’ foi usado como trilha do filme Doce Novembro (Sweet November – 2001). A canção foi usada em diversas matérias, documentários e rádios que trataram sobre os ataques do 11 de Setembro de 2001. No mesmo ano, Enya grava ‘May it Be’ para nada menos que a trilha de ‘O Senhor dos Anéis – A Sociedade do Anel’.

2005-2008: Amarantine e And Winter Came

Em novembro de 2005 é a vez de Amarantine. O álbum ganhou o Grammy Award 2997 de Melhor Álbum de New Age, o quarto Grammy de Enya. Em 2006, Enya lança vários álbuns com temas natalinos. Em 10 de outubro de 2006 ‘Sounds of the Season: The Enya Holiday Collection’ foi lançado contendo seis músicas. Este CD foi lançado apenas nos Estados Unidos em uma parceria exclusiva com a NBC. No final de novembro duas novas edições do Amarantine foram liberadas. No Reino Unido, foi reeditado como ‘Amarantine – Natal Edit’, contendo um segundo disco que trazia quatro novas músicas de Natal. Nos Estados Unidos ele foi lançado como ‘Amarantine – Deluxe Edition Collector’, trazendo três cartões postais e uma cópia do livro de Roma Ryan. Fãs canadenses puderam escolher entre a Edição Especial de Natal de Amarantine ou um EP intitulado Natal Secrets.

Em meados de 2007 Enya alegou ter vendido 80 milhões de álbuns. Um empresário americano cunhou o termo ‘Enyanomics’, para explicar a capacidade de Enya de vender milhões de discos sem ter que fazer performances ao vivo. Em 29 de junho de 2007, Enya recebeu um doutorado honorário da Universidade Nacional da Irlanda, em Galway. Pouco depois, em 10 de julho de 2007, Enya recebeu um doutorado honorário da Universidade de Ulster.

Em novembro de 2008 Enya lança ‘And Winter Came…’, junto com o clipe de ‘Trains and Winter Rains’. O álbum seguiu sua paixão pelo tema natalino.

2009-Atualmente: The Very Best of Enya e o oitavo álbum

The Very Best Of Enya foi lançado em 2009 e inclui a maioria de seus hits de 1987 a 2008, incluindo uma nova versão de ‘Aníron’, canção criada para ‘O Senhor dos Anéis: A Sociedade do Anel’, em 2001. Em 2010, a cantora Rihanna usou trechos de ‘One By One’ em uma música de seu novo álbum. Em 2011, Enya deu uma entrevista onde declarou estar produzindo um novo álbum, que deverá ser gravado nos estúdios Abbey Road em Londres.

Vida Pessoal

Com Watermark Enya, como todos artistas ligados a temas nerds por assim dizer, místicos e mitológicos, passou a colecionar seus stalkers. Um deles invadiu o castelo onde vive, na Irlanda e atacou seus funcionários. Em 1996, em Dublin, um homem se esfaqueou após ser expulso do pub de seus pais. Ele havia sido visto andando com uma foto de Enya pendurado no pescoço. Em 2006 Enya já era a terceira artista mais rica da Irlanda e a 95ª pessoa mais rica do seu país.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *