Conversa de Botas Batidas

Que interessante, após tanto tempo de total torpor, até pensei ser incapaz de produzir uma lágrima que assim fosse. Então sento aqui e pesquisando pelo poema que foi acrescentado a canção ‘Conversa de Botas Batidas’, em uma versão da original dos Los Hermanos, cantada agora por Cícero, no projeto Re-Trato, novamente esbarro com Drummond. Estranho como a vida me parece levar sempre para os mesmos lugares, pessoas e sentimentos. De repente vem aquela cisma inexplicada e estranha, que se revela íntima e particular.

Desde que li um poema de Drummond, há algum tempo, corri por semanas, meses e livrarias em busca do seu livro ‘Confissões de Minas’. Ao mesmo tempo que ouvi esta versão pela primeira vez. Nem poderia desconfiar que se tratava novamente ele, além da curiosidade de quem seria o seu locutor. Quem melhor que o próprio? O poema se chama ‘Memória’ e diz mais ou menos assim:

Amar o perdido
deixa confundido
este coração.

Nada pode o olvido
contra o sem sentido
apelo do Não.

As coisas tangíveis
tornam-se insensíveis
à palma da mão

Mas as coisas findas
muito mais que lindas,
essas ficarão.

Não sei se sou capaz de entender o real sentido das palavras de Drummond, mas de alguma maneira elas me afetam, mais que profundamente: em definitivo. A junção do poema à uma canção tão contemporânea, mostra não só sua beleza e relevância, mas a capacidade de Drummond de ser atemporal. Lindo também é seu título da canção: ‘Conversa de Botas Batidas’. Gosto de músicas com nomes que não sejam retiradas de um trecho dela, mas que sintetizem o sentido do que o compositor quer dizer.

Bonito o trecho que diz assim:

A gente só queria um amor
Deus parece às vezes se esquecer
Ai, não fala isso, por favor
Esse é só o começo do fim da nossa vida

Não sei você, mas tantas vezes achei que Deus esqueceu de mim. Tantas vezes quando ouvi alguém dizer isso, pedi para que não repetisse. Talvez ele não tenha ouvido da primeira vez e tudo ficaria bem. Nossa pior herança do cristianismo: acreditar em um Deus vingativo, mesmo sabendo que a maior característica de um ser supremo é o perdão.

Fica a eterna dúvida proposta:

Quem é maior que o amor?

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *