A Dívida / A Grande Mentira

A Dívida ou O Débito seriam as traduções livres do filme que no Brasil recebeu o título mega spoiler de ‘A Grande Mentira’ (The Debt). O filme traz um bom elenco, com Helen Mirren e a belíssima Jessica Chastain interpretando a mesma personagem em idades diferentes. Chastain era uma atriz basicamente de séries, atuando em oito delas de 2004 a 2007. Em 2011 ela engatou nada menos que 7 filmes. ‘A Grande Mentira’ é o terceiro filme que assisto com ela somente neste primeiro semestre do ano, os outros foram ‘A Árvore da Vida’ e ‘Histórias Cruzadas’. Ela está na mesma balada do seu companheiro de filme Sam Worthington que após ser catapultado para a fama com Avatar em 2009, participou de 8 filmes de 2010 a 2012. Ele que protagonizará Avatar 2 em 2015. Os dois dividiram o set em outro filme, também lançado em 2011, ‘Em Busca de um Assassino’ (Texas Killing Fields).

Uma confusão pode acontecer com este filme que é referenciado na internet com o nome: ‘No Limite da Mentira’, muito provavelmente o título dado para o filme em Portugal. No Brasil ele realmente recebeu o nome de ‘A Grande Mentira’. Esta versão americana é um remake do filme israelense de 2007.

Sinopse

David, Rachel e Stephan (Sam Worthington, Jessica Chainstain e Marton Csokas) são agentes do Mossad (Instituto para Inteligência e Operações Especiais do Serviço Secreto Israelense). Eles foram escalados em uma missão secreta para capturar o criminoso de guerra, nazista, Dieter Vogel (Jesper Christensen), conhecido como ‘O Cirurgião de Birkenau’. Birkenau que foi o segundo acampamento do famoso campo de concentração de Auschwitz. Apesar da missão determinar que Vogel deveria ser capturado e levado vivo para ser julgado por seus crimes em Israel, problemas na missão forçam a equipe a matar Vogel após uma tentativa de fuga do médico nazista. Eles retornam ao país como heróis, porém, trinta anos depois eles serão confrontados com uma parte desta história que foi omitida e que mudará a imagem que o país possui destes heróis.

Ficha Técnica

Título Original … The Debt
Gênero … Drama
Duração … 113 min
Lançamento … 2011
Direção … John Madden
Roteiro … Matthew Vaughn, Jane Goldman e Peter Straughan
Nacionalidade … USA

Elenco

Helen Mirren como Rachel Singer (Tel Aviv 1997)
Tom Wilkinson como Stephan Gold (Tel Aviv 1997)
Ciarán Hinds como David Peretz (Tel Aviv 1997)
Romi Aboulafia como Sarah Gold (Tel Aviv 1997)

Jessica Chastain como Young Rachel (Berlin 1965)
Marton Csokas como Young Stephan (Berlin 1965)
Sam Worthington como Young David (Berlin 1965)
Jesper Christensen como Dr. Bernhardt/Dieter Vogel (Berlin 1965)

Spoilerando

Se você já assistiu o filme e quer comprar suas impressões com as minhas sobre este filme, continue lendo.

Pelo que pesquisei, o Dieter Vogel é um personagem de ficção, porém, as experiências médicas feitas com crianças na Alemanha Nazista realmente aconteceram. Da mesma forma que ratos de laboratório são infectados com vírus para a descoberta de vacinas, durante os campos de concentração do Terceiro Reich, as mesmas experiências eram realizadas com humanos, prisioneiros de guerra que incluiam crianças judias. Os experimentos levavam geralmente à morte, deficiência ou desfiguração. Basicamente três médicos lideraram estas experiências: Dr. Eduard Wirths, Dr. Aribert Heim e Dr. Carl Vaernet, que inclusive realizou experimentos com prisioneiros homosexuais, tentando ‘curar’ o homosexualismo. No total 20 médicos foram julgados por seus crimes de guerra, que incluiram experimentos com seres humanos e assassinato em masssa sob disfarce de eutanásia. Dos acusados, sete foram absolvidos e sete receberam sentenças de morte, o restante receberam sentenças de prisão que variam entre 10 anos à prisão perpétua. Este julgamento marcou a criação do Código de Nuremberg de Ética Médica.

Não me lembro do filme tocar nestes detalhes, mas acredito que a ideia seria colocar Dieter Vogel como um dos médicos absolvidos. A história apesar de ter um tema central bastante denso, mostra muito pouco detalhe sobre estes crimes e sobre a guerra praticamente nada. Apesar de um drama a história se desenrola muito mais no triangulo amoroso criado pelos três agentes secretos.

A história me pareceu muito interessante, mas o filme ficou devendo. Não fez bem nem uma coisa nem outra. Nem como um filme de guerra, nem como um romance dramático, nem como um trailer policial. Hellen Mirren é uma ótima atriz, mas ela não encanta o espectador. Ficaria muito melhor no papel de vilã. Muito diferente da bela Jessica Chastain.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *