Amantes – Two Lovers

Amantes é um nome muito tendencioso para este filme, já que no Brasil associamos a palavra ‘amante’ muito mais com um caso extraconjugal do que necessariamente como o sinônimo de uma relação de amor.  Sendo assim, Two Lovers, faz muito mais sentindo neste caso. Este filme de 2008 é o quarto da carreira do diretor James Gray, três deles protagonizados por Joaquin Phoenix. Antes tiveram o excelente Os Donos da Noite (We Own the Night de 2007) e Caminho Sem Volta (The Yards de 1999). Os três filmes não foram apenas dirigidos como roteirizados por Gray.

Além de Phoenix que é um grande ator (Gladiador, Johnny & June, Os Donos da Noite, Traídos pelo Destino), dividem a protagonização a belíssima Gwyneth Paltrow e a igualmente bela Vinessa Shaw. Ótimos atores, ótima direção e ótimo roteiro. Acompanhe os dados do filme e no final, a seção Spoilerando.

Sinopse

Leonard Kraditor (Joaquin Phoenix) já tentou o suicídio algumas vezes. Ele não se recuperou do fim do noivado há dois anos, devido a uma doença que ele e sua noiva possuíam, que faria com que seus filhos falecessem antes de completar um ano de vida. Seus pais, Reuben (Moni Moshonov) e Ruth (Isabella Rossellini), vivem preocupados com o filho e tentam fazer com que namore Sandra Cohen (Vinessa Shaw), filha de um casal amigo. Os dois se conhecem em um jantar na casa dos Kraditor, mantendo contato a partir de então. Dias depois Leonard conhece Michelle Rausch (Gwyneth Paltrow), sua vizinha, que está refugiada no corredor para evitar o mau humor de seu pai. Leonard oferece estadia em sua casa até que ele se acalme e logo demonstra interesse nela. Esta situação faz com que Leonard tenha que se decidir entre a paixão e o risco de viver com Michelle e o carinho e a tranquilidade oferecidos por Sandra.

Ficha Técnica

Título Original … Two Lovers
Gênero … Drama
Duração … 110 min
Lançamento … 2008
Direção … James Gray
Roteiro … James Gray
Nacionalidade … USA

Elenco

Joaquin Phoenix como Leonard Kraditor
Gwyneth Paltrow como Michelle
Vinessa Shaw como Sandra
Isabella Rossellini como Ruth Kraditor

Spoilerando

O site Adoro cinema trazia uma única referência do filme, um usuário que deu nota 7.5, detalhe: após assistir o trailer. Isso mesmo: o trailer… vai entender…

Amantes é um dos mais belos filmes que eu assisti ultimamente. Apesar do arrependimento em ter relutado tanto para coloca-lo para rodar no dvd, prefiro acreditar que cada filme tem um tempo certo para fazer parte da minha vida. O triângulo amoroso entre Leonard (Phoenix), Sandra (Shaw) e Michelle (Paltrow) realmente funcionou, certamente pela união destes três bons atores. O roteiro foi muito bem escrito e a direção de James Gray é tão bem coordenada que apesar das quases duas horas do filme, passa muito rápido. Joaquin Phoenix sempre faz tipos perturbados, em ‘Amantes’ não seria diferente. Por momentos você imagina que ele vai cometer algum crime, em outros você jura que ele tem alguma deficiência mental, em outros parece alguém completamente perturbado e em outros alguém extremamente gentil, conseguindo lhe convencer apenas com um sorriso ou alguma brincadeira irônica.

A todo momento ele oscila seu comportamento, no fundo resquícios de uma grande decepção amorosa. Quando ele conhece a doce e gentil Sandra, você só consegue se imaginar tendo a mesma sorte: uma mulher bonita, sensual, apaixonada e dedicada. Mas como regra básica da estranheza humana envolta dos enigmas do nosso coração, ele acaba se apaixonando por Michelle, que além de não corresponder seu sentimento, está apaixonada por outro homem, casado, porém muito mais seguro e bem sucedido. Para piorar o status, Michelle tem uma personalidade conturbada e um passado no mínimo confuso.  Não existiria lógica em ele se apaixonar por ela ao invés de ficar com Sandra, deve ser isso que explique o coração e o cérebro ficarem tão distantes um do outro.

Poderia ser mais uma história cliché, de encontros e desencontros, amores platônicos, escolhas equivocadas, porém a história fica muito interessante quando Leonard se vê na mesma situação de Michelle, investindo no relacionamento errado e sem a capacidade de entender o próprio erro. O fim da história desde amor platônico não poderia acabar diferente, Michelle jamais conseguiria esquecer o ‘relacionamento proibido’ e diante da promessa cumprida do seu amante de se separar da esposa, não exitou em deixar Leonard para trás. Os sinais eram claros, como sempre são, mas nada nos impede de acreditar que fazendo as coisas erradas, teremos um final glorioso, pobre ser humano. Conhecendo a personalidade instável e um tanto egoísta de Michelle, não haveria outro fim possível, se não fosse com o antigo amante, Michelle certamente se enjoaria de uma vida mediana ao lado de Leonard.

Quando você espera que Leonard, movido por mais uma grande desilusão amorosa tentará novamente o suicídio, ele percebe que sua segunda chance era mesmo ao lado de Sandra. Trocar o fogo da paixão por Michelle pela segurança ao lado de Sandra parece uma escolha covarde, quando é na verdade a única escolha sensata que ele fez em toda vida, mesmo que o destino tivesse que conspirar um pouco a favor. Se ele era capaz de esperar Michelle se apaixonar verdadeiramente por ele, também deveria ser capaz de esperar o tempo certo para se apaixonar verdadeiramente por Sandra.

O mais bonito do filme é que esta atitude ocorre justamente em um momento de desespero em que Leonard nitidamente pensa novamente em suicídio e ao ver a luva que ganhou de Sandra, recorda-se de suas palavras, quando ela diz ter uma grande vontade de cuidar de Leonard e aceitá-lo com todos seus traumas do passado.

Me apaixonei pela personagem e pela atriz Vinessa Shaw.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *