Mallu Magalhães

Impossível ser uma pessoa atenta aos assuntos que acontecem no país e nunca ter ouvido falar em Mallu Magalhães, que tem o sugestivo nome Maria Luiza de Arruda Botelho Pereira de Magalhães, eu não sabia isso obviamente, achei na Wikipédia. Brincadeiras à parte, sempre acompanhei a carreira dela um tanto distante, não tenho nenhum dos seus três álbuns lançados, mas foi impossível não saber um pouco da sua vida, sendo a grande aposta da MTV em 2008. Não se falava em outra coisa e por um tempo achei que o Brasil iria descambar para este estilo musical. Além de MTV, teve Programa do Jô, Altas Horas e inclusive grandes festivais como o Planeta Atlântida e apresentações internacionais.

Apesar da grande aposta na jovem cantora, que em 2008 tinha apenas 16 anos, Mallu Magalhães sempre dividiu opiniões. Instrumentalmente acredito que é indiscutível seu talento, musicalmente já acho que mereça ressalvas, mas o que sempre dividiu opiniões foi seu jeito pessoal, infantil e por vezes estranho de ser. Pelo ‘barulho’ que fizeram sobre seu trabalho, acredito que a carreira dela não decolou à altura do que se prognosticava. Será que estou sendo injusto? Não sei, mas parece que seu hiato midiático esfriou todo frenesi criado em 2008 quando ela surgia para o grande público. Vivemos um momento em nossa sociedade onde o tempo costuma ser cruel em um período cada vez menor.

Além de intercalar o tempo todo entre opiniões positivas e outras extremamente contrárias, seu relacionamento com Marcelo Camelo foi outra grande polêmica. Ela com apenas 16 anos e jeito de 12, ele, um músico consagrado, com 30 anos, quase o dobro da idade, tudo isso unido a personalidade bastante particular de Camelo, um cara digamos…introspectivo.

Posso, quase que certamente estar sendo preconceituoso, mas este relacionamento nunca me convenceu de ser algo bom. Duas personalidades introspectivas juntas não é definitivamente uma boa combinação. No início tudo parece muito bom, ambos se identificam nas ‘maluquices’, em um certo grau de ‘fobia social’ e tudo mais que faria você deixar de ser ‘um bom partido’. Pessoas incompreendidas tendem a encontrar alento em outras pessoas incompreendidas. Não estou atirando a pedra muito longe, falo com certo conhecimento de causa. Mas acredite, a longo prazo a relação tende a se transformar em algo ruim para ambas as partes. O mal se alimenta do mal, seja lá qual a definição que você dê para ele. Todos precisamos de vigas de sustentação emocional ao longo da vida e apesar da identificação inicial, construir um relacionamento sobre vigas que já sofreram abalos é bastante arriscado.

Assistindo ao novo clipe de Mallu Magalhões, da música ‘Velha e Louca’, só consigo encontrar ainda mais sustentação na minha tese. Impossível não perceber as mudanças físicas e a personalidade que já era bem particular, ser ainda mais gritante. A magreza que convencionaram chamar de ‘esguia’, como forma de elogio, parecendo uma modelo cabide de roupa, para mim, continua carregando o estigma da ‘anorexia’, de alguém doente, de alguém em falta, de alguém em déficit. Nem para cima nem para baixo, sinônimo de saúde física e mental é definida pela palavra EQUILÍBRIO. Eu sei, talvez eu seja o sujo falando do mal lavado, mas ainda assim prefiro enxergar com clareza que as coisas não podem estar bem.

Não precisa ir longe, quando Amy Winehouse apareceu ‘esguia’, abandonando o perfil ‘gostosa’, grande parte das fãs estavam achando tudo lindo. Se fosse esquecer tudo isso, ainda teria esta vivência simbiótica entre ela e Marcelo Camelo. Ele como produtor do álbum dela enquanto o álbum dele vem com o título ‘Toque Dela’, uma clara referência a influência dela sobre o trabalho e a vida dele. O que pelos fãs seja visto como uma prova de amor, para mim continua sendo uma supressão de personalidades e a criação de uma terceira personalidade, híbrida.

Sempre ouvi aquela máxima de que existem pessoas que nascem com ‘alma velha’. Gente jovem que gosta de coisas de outras décadas, que desde muito jovem ouvem temas mais densos. Não existe nada de original nisso. Mallu Magalhães sempre foi influenciada por Johnny Cash e Bob Dylan, daí a cantar uma música que diz:

Pode falar que eu não ligo,
Agora, amigo,
Eu tô em outra,
Eu tô ficando velha,
Eu tô ficando louca.

Parece que ela tem ciência da própria realidade e do julgamento alheio, mas ainda assim, temos que lembrar que Mallu tem apenas 19 anos.

Veja as mudanças físicas que comentei acima:

 

One Response to Mallu Magalhães
  1. Bárbara Pinheiro

    Eu não conheço muito deste site,não sei se esta é a proposta,mas achei o post com uma abordagem muito mais psicoláogica do que musical. Este costume, brasileiro,mas não só,de tornar o privado cada vez mais público, faz a gente pensar que tem o direito, e que se trata de interesse público, analisar o relacionamento das pessoas!

    Bárbara,

    Todas as vezes que alguém decide tomar uma posição de crítica, de avaliação, invariavelmente contrária ao pensamento comum, sabe que precisa escutar tudo na mesma moeda. Olho por olho, dente por dente. Por isso seu comentário é válido, necessário e relevante. Como você mesmo sabiamente resumiu, foi exclusivamente uma abordagem mais psicológica que musical. O que é por si só positiva, pois em nenhum momento coloquei em xeque a qualidade profissional e artística do Marcelo Camelo e da Mallu Magalhães. Criticas, avaliações ou apenas comentários, para serem justos devem seguir este tipo de critério, respeitoso. Você concorda comigo que não existe nenhuma tentativa de desmerecer nenhum deles. O comportamento pessoal dos dois é que sempre me chamou a atenção, observar comportamentos é extremamente interessante e enriquecedor. Se não fosse pública a discussão, eles não teriam deixado tão claro a intenção. Todos somos avaliados por um amigo, um conhecido, um vizinho, um chefe, um bairro, uma rede social, um grupo social. De forma justa, de forma injusta. O importante é que a intenção seja verdadeira e que seja respeitado o direito de resposta seja ela qual for.

    Abraços para você…
    Jeff

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *