Rima LII (53)

Volverán las oscuras golondrinas
en tu balcón sus nidos a colgar,
y otra vez con el ala a sus cristales
jugando llamarán.

Voltarão as escuras andorinhas
em tua varanda a fazer seus ninhos,
e outra vez com a asa em tuas janelas
batendo chamarão

Pero aquellas que el vuelo refrenaban
tu hermosura y mi dicha a contemplar,
aquellas que aprendieron nuestros nombres…
¡esas… no volverán!.

Porém aquelas que o voo refrenavam
tua formosura e minha alegria ao contemplar,
aquelas que aprenderam nossos nomes…
essas… não voltarão.

Volverán las tupidas madreselvas
de tu jardín las tapias a escalar,
y otra vez a la tarde aún más hermosas
sus flores se abrirán.

Voltarão as densas madressilvas*
de teu jardim os muros a escalar,
e outra vez na tarde, ainda mais formosas,
suas flores se abrirão.

Pero aquellas, cuajadas de rocío
cuyas gotas mirábamos temblar
y caer como lágrimas del día…
¡esas… no volverán!

Porém aquelas flores, coalhadas de orvalho
cuja as gotas olhávamos tremer
e cair, como lágrimas do dia…
essas… não voltarão.

Volverán del amor en tus oídos
las palabras ardientes a sonar;
tu corazón de su profundo sueño
tal vez despertará.

Voltarão o amor em teus ouvidos
ardentes palavras a soar;
teu coração de seu profundo sonho
talvez despertará.

Pero mudo y absorto y de rodillas
como se adora a Dios ante su altar,
como yo te he querido…; desengáñate,
¡así… no te querrán!

Porém mudo e absorto** e de joelhos
como se adora Deus ante seu altar,
como eu te quis… desengana-te.
assim… não te quererão!

Gustavo Adolfo Bécquer

*tipo de planta trepadeira
**concentrado em seus pensamentos, estasiado

O ator Luis Gustavo, recebia uma homenagem no programa da ‘Xuxa’, quando resolveu declamar a Rima LII para ela, em agradecimento ao convite que recebeu. Por gentileza, tente ignorar a Xuxa e preste atenção apenas na rima, tão belamente recitada por ele.

Gustavo Adolfo Bécquer foi um escritor e poeta espanhol, pertencente ao final do romantismo, é considerado pós-romantismo, além de ter escrito dentro do realismo. Bécquer nasceu em 17 de fevereiro de 1836, em Sevilha na Espanha e faleceu ainda jovem, aos 34 anos, em 22 de dezembro de 1870 em Madri. Nunca teve um livro publicado em vida, porém hoje é considerado um dos escritores mais importante da Espanha.

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *