Verdades que você precisa saber sobre a internet e ninguém teve interesse de contar…

Existem muitas coisas que acontecem na internet, que talvez você nunca parou para pensar como se desenvolvem. Você alguma vez já acessou algum vídeo, vlog, blog ou twitter com algum conteúdo nerd e se sentiu completamente idiota, pensando: “Mas do que é que eles estão falando?”. Já estranhou todo esse saudosismo com o Mário Bros., games, personagens de desenho animado que você só conhece por nome, histórias em quadrinhos ou detalhes de filmes que você só assistiu no canal aberto:  Robocop, Star Wars, Táxi Driver entre tantos outros?

Provavelmente você não é menos inteligente por não entender esse fanatismo todo. Quem sabe, assim como eu, você seja apenas pobre. Você parou para imaginar que nerds na média de 20 a 35 anos, são apenas pessoas que tiveram uma infância confortável financeiramente? Se hoje você acha difícil comprar um iPhone hoje em dia, tente imaginar como era ter um vídeo game há 20 anos. Tente imaginar quanto custava uma câmera fotográfica ou o preço da mensalidade da tv por assinatura.

Toda a tecnologia que eu tive acesso só aconteceu quando já era algo popular e acessível. O vídeo cassete foi inventado na década de 70, me recordo quando meu pai comprou o nosso, quando eu já tinha uns 14 anos, ou seja, 24 anos depois. Tínhamos duas televisões em casa, uma na sala e uma pequena na cozinha. Eu fui ver uma família com tv nos quartos, quando comecei a namorar minha atual noiva, com 18 anos de idade.

Meu primeiro computador foi comprado aos 18 anos, em um consórcio (acredite, consórcio, igual de carro, onde você tinha que esperar ser sorteado), em 24 vezes, onde eu e minha mãe dividíamos a parcela, pois eu já trabalhava desde os 14 e tinha meu salário. O meu salário aliás, que ajudava nas despesas de casa, pagava meu ônibus para o trabalho e escola, além de pagar meu almoço, quando eu podia almoçar.

Para quem mora no interior, ter acesso a canais de televisão, só aconteceu com a criação das antenas parabólicas. Minha infância inteira foi assistindo Globo e SBT. Por isso talvez, hoje os programas que lembram a minha infância seja Globo Rural, Pequenas Empresas, Grandes Negócios, Jô Soares.

Você também se sente deslocado por não ter um Playstation 3 ou XBOX? Sente-se ignorante por não falar inglês e nunca ter viajado para fora do país? Não se preocupe, você não é menos inteligente que ninguém, você apenas não teve acesso a toda informação e entretenimento que o dinheiro pode proporcionar. Antes de existir a Wikipédia, conhecimento era algo limitado para quem podia pagar por ele. Um bom colégio particular, livros, enciclopédias, viagens culturais.

Você gostaria de ter um blog com muitos acessos? Um vlog com muitos views? Um twitter com muitos seguidores? Alguma vez você parou para analisar que grande parte da galera que detém os maiores números de acessos no Brasil, são pessoas que em parte, ainda moram com os pais e são no mínimo de classe média, ou seja, podem perder muito tempo na internet, pesquisando inutilidades e gravando vídeos, enquanto ‘pessoas normais’ estão trabalham.

Antes de querer se tornar o mais novo Felipe Neto, você já imaginou se sua realidade é compatível com a realidade da internet?

Você que assim como eu, trabalha desde a adolescência e passou grande parte da sua vida trabalhando e estudando, não pode se dar ao luxo de perder horas jogando algum player qualquer. Eu não tenho um computador e uso internet por inclusão social e digital, trabalho com criação gráfica desde os meus 15 anos de idade e  somente por isso eu tenho um blog e um computador para postar nele. Se isso não fizesse parte do meu dia-a-dia, provavelmente eu não estaria aqui, o Gelo Negro não existiria e eu teria usado o dinheiro para alguma necessidade básica mais urgente.

Para piorar a situação, a internet transferiu todo o elitismo da vida real para as redes sociais. Gente ‘famosa’ só possui amigos famosos. Blogueiros, vlogueiros e twitteiros famosos, só trocam conteúdo entre si. Não se promove nada de qualidade na internet, o que importa são os números. Se você possui muitos acessos, talvez entre para o ‘clube vip da internet brasileira’, mas se tem apenas um conteúdo interessante, tá fora. Salvo quando alguma destas ‘webcelebrities’ enxergam em você alguma forma de acumular mais acessos. Não existe mais inoscência, cada atitude, cada palavra, cada link, cada tweet tem um preço, pagos em reais, em troca de falta de caráter.

Enquanto nós continuamos a nos sentir ‘estranhos no ninho’, estamos criando e alimentando monstros, colaborando para construir muros e grades invisíveis, porém igualmente intransponíveis. Estas pessoas esqueceram os princípios que fundamentaram a internet, só promovem conteúdo inútil ou aquilo que lhe agradam de forma pessoal. Você tem dúvida da existência deste elitismo? Quantas vezes você já ouviu frases como:

‘Orkut é coisa de pobre’
‘Culpa da inclusão digital’
‘O Facebook é o novo Orkut’

Fazem a associação: pobreza = ignorância. Se incomodam com alguém que faz uma foto em baixa resolução na favela, enquanto vlogs como do Galo Frito, falam de sexo para internautas de 8 anos de idade, o Rafinha Bastos pode escrotizar tudo e todos, o Felipe Neto pode falar de modinhas adolescentes, o Pc Siqueira pode reclamar das coisas inúteis de seu cotidiano, o Não Salvo pode publicar os vídeos mais bizarros da internet, como uma garota passando maionese nas partes íntimas, o Jacaré Banguela junto com o Kibe Loco podem publicar o que quiserem, inclusive capitalizando números através de todas as escatologias possíveis, o Chongas pode copiar artigos de sites mundo afora, tentando se passar por autor. Porém, quem está errado é o pobre coitado que tenta se virar para não se sentir excluído do mundo digital, já que do mundo real ele já foi.

– Não se preocupe se você não entender alguma piadinha nerd, você simplesmente fez mais da sua vida do que passar o dia inteiro em casa vendo tv.
– Não se preocupe se seu vídeo no Youtube não passou de 100 acessos, a maior parte destes acessos são de pessoas que você nem gostaria de conviver.
– Não se preocupe com seu status na internet, você pode e provavelmente tem uma vida mais real do que qualquer perfil famoso.

One Response to Verdades que você precisa saber sobre a internet e ninguém teve interesse de contar…
  1. realista

    Boa gostei verdaee seja dita imbecis como aquele bola de merda do Jacaré banguela e outros nerds coxinhas leite com pêra como felipe neto pc e cauê porco moura se acham engraçados com sua idiotice medíocre tipica de filinhos de papai de rio e são Paulo agora despejam essa tonelada de fezes em forma de vlog fora a extensão do zorra total chamada porta dos fundos que se acham descolados mas não passam de outro embuste o brasileiro é idiota e eles são uma prova incontestável disso o mesmo vale pra attention whores como Marimoon e Gabi Fadel essa última uma versão xing ling da primeira.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *