O Palhaço – Filme

Hoje tive a certeza de que minhas avaliações e dicas feitas no Gelo Negro possuem muita coerência. Há mais de um ano, escrevi um artigo sobre o Renato Godá, talentoso cantor paulista. Na tentativa de explicar seu estilo musical, resumi:

‘Em alguns momentos tem um ar nonsense, embalado em marchinhas meio circenses…’

Ao assistir o clipe do famigerado filme ‘O Palhaço’, dirigido e estrelado por Selton Melo, tenho a grata surpresa de ouvir o instrumental da música ‘Bom Partido’, de quem? de quem?…Renato Godá. Entrei no Facebook e perguntei diretamente na fanpage, se realmente era a música dele e a produção dele confirmou, para minha felicidade, não é a única canção, várias músicas foram usadas na trilha do filme, pelo que me parece, todas sem o vocal. Fiquei extremamente feliz de ver uma avaliação totalmente pessoal, tomar forma e acabar virando realidade.

A escolha da produção do filme não poderia ser mais acertada e filme com boa trilha sonora é meio caminho andado.

O Filme

O Palhaço conta a história de Benjamin (Selton Mello) e Valdemar (Paulo José), pai e filho conhecidos nos picadeiros como os palhaços Pangaré e Puro Sangue. Eles ganham a vida viajando pelo país com o ‘Circo Esperança’, sem endereço fixo, sem vizinhos, sem documentos.

O drama começa quando Pangaré, cansado da vida na estrada, começa a achar que já não é mais um palhaço engraçado, fazendo despertar um sonho antigo de ter um lugar para morar e um CPF, comprovando sua identidade.

Críticas

Como ainda não assisti o filme e não posso dar minha opinião sobre ele, fui atrás das críticas deixadas na internet. Como todo filme que me agrada muito, as opiniões se dividem entre excelente e lixo. Invariavelmente as críticas positivas são bem elaboradas e coerentes, enquanto as críticas negativas são bastante superficiais e descriteriosas. Em uma declaração do Selton Mello, a explicação para tamanha divergência fica um pouco mais óbvia, disse ele ao portal G1

É uma época de filmes muito tecnológicos. ‘O palhaço’ é um filme analógico

Talvez a ideia de um filme com uma temática simples e humilde, em tempos de cinemas 3D e salas iMax, cause definitivamente algum repúdio e uma dificuldade de identificação da galera mais jovem. Apesar do título ‘O Palhaço’ e de ser lançado próximo as férias de fim de ano, o filme não é nenhuma comédia pastelão. Selton Mello novamente faz outra declaração bastante consciente da realidade do seu filme:

São tantos efeitos visuais, truques e criaturas criadas por computador no cinema de hoje que acho que as crianças vão acabar estranhando os personagens do Circo Esperança. esses personagens parecem seres de outro planeta, porque elas nem imaginam que existe esse mundo do circo

Intencionalmente ou não, o filme traz uma boa reflexão sobre como nos relacionamos com tudo isso, como as crianças e adolescentes perderam o encanto por coisas simples, a falta de capacidade de se emocionar com histórias reais, com personagens humanos.

Posso estar enganado, mas a fotografia do filme me lembra muito ‘O Fabuloso Destino de Amelie Poulain’ e ‘nansnadnandnad’. Além de ter um ar nonsense no estilo de Carnivale. Também li em algum lugar uma crítica que lhe comparava com o filme ‘Prazer sem limites’ (Boogie Nights), filme de 1997.

O filme tem participações bem interessantes como a do Ferrugem.

Trailer

2 Responses to O Palhaço – Filme
  1. kelvya

    Lindo filme… eu diria encantador, realmente é um choque quando se assiste ‘O homem do Futuro’, muda de sala e assiste ‘O Palhaço’ eu particularmente prefiro O Palhaço… lindo, lindo. Só falta agora nosso amigo Jeff Skas disponibilizar a trilha sonora no Gelo Negro aqui pra gente. Parabéns Jeff adoro teu trabalho aqui no site. Mas isso você já ta cansado de ouvir.
    Abraço!

  2. [...] lancamento, musica, video. No Comments Se você não conhece Renato Godá, escrevi sobre ele aqui, aqui ... gelonegro.com.br/?p=5114

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>