Novamente ela, Natalie Portman

Quem já acessa o Gelo Negro a algum tempo, já sabe da minha simpatia pela Natalie Portman. E não há como negar, ela é a garota da vez. Em 2011 ela estréia nada menos que cinco filmes, são eles: Sexo Sem Compromisso (No Strings Attached), Sua Alteza (Your Highness), As Coisas Impossíveis do Amor (The Other Woman), Thor (Thor) e Hesher, que ainda não tem nome no Brasil.

Hoje vou falar de ‘As Coisas Impossíveis do Amor’ que infelizmente, como tudo no Brasil, já começou errado pela tradução do nome. A Outra Mulher seria muito mais adequado e faz todo o sentido, quando você assiste ao filme. Na capa do DVD, trazia a frase: ‘O melhor filme de Natalie Portman desde Closer’, sinceramente achei que a frase é dispensável ou talvez quem a escreveu não tenha visto outros bons filmes que ela fez depois de Closer, e tem vários: ‘V de Vingança’, ‘ A Outra’, ‘Entre Irmãos’…

As Coisas Impossíveis do Amor é de fato um filme belíssimo, muito sensível e repleto de reviravoltas, gosto muito disso. Não gosto de filme linear demais, com começo, meio e fim delimitados demais. Se você é um pouco atento, acaba por descobrir o final ainda na metade do filme. Por isso este filme é muito interessante, quando a história parece seguir um rumo cliché, um detalhe faz tudo voltar ao ponto de partida. É um filme sem mocinhos e bandidos, na verdade é um filme de gente real, com seus defeitos e qualidades, suas picuinhas, muito próximo da realidade de qualquer um de nós.

O Filme

O filme é bastante delicado, Emilia (Natalie Portman) é uma jovem mulher que perdeu sua bebê recém nascida. Para piorar ela precisa conviver com o status de ‘destruidora de lar’, pois se casou com o advogado Jack Woolf (Scott Cohen) com quem manteve um caso, enquanto ele ainda era casado com a médica Carolyn (Lisa Kudrow). Na realidade o casamento não existia mais há muito tempo, mas Carolyn insiste em fazer com que Emilia se sinta culpada pelo fim do casamento. Além disso ela precisa conviver com uma difícil relação com o enteado, que é o tempo todo manipulado pela mãe, para ficar contra ela. Carolyn também não exita em usar a morte da bebê de Emilia para se vingar. É diante desta realidade repleta de conflitos que acontece todo o desenrolar deste drama que se tornou a vida de Emilia, que para pior ainda tem um grande problema de relacionamento com o pai.

Em muitas vezes você tem vontade de entrar dentro do filme e tirar Emilia deste furacão de sentimentos, cobranças e tristezas que ela se encontra. É interessante você utilizar o filme para uma análise da sua própria vida e de quantas situações nós mesmos nos colocamos. Ao mesmo tempo que você vê Emilia como a grande injustiçada e Carolyn como a megera, você começa a mudar a perspectiva diante de alguns fatos e entender que na realidade, todos temos um pouco de anjo e demônimo e muitas vezes, só vemos uma face desta ambiguidade, justamente dependendo do lado que estamos.

O Livro

O filme na realidade tem o nome oficial de ‘The Other Woman – Love and Other Impossible Pursuits’, algo como Amor e outras buscas (ou perseguições, anseios) impossíveis. É baseado no livro Love and Other Impossible Pursuits, escrito por Ayelet Waldman, publicado em 2006 pela primeira vez. Não achei referências se o livro foi lançado no Brasil, me parece que não. Ayelet usa muitos elementos da sua própria vida em suas obras de ficção, misturando realidade e romance. Ela de fato também foi advogada, assim como a personagem Emilia, também perdeu um filho, mas não recém nascido e sim ainda na gestação. Ela escreveu diversos livros sobre maternidade, principalmente fazendo um paralelo sobre sua incapacidade de ser uma boa mãe, já que é uma pessoa bipolar.

Erro Tupiniquim

Não entendi porquê não utilizaram o poster oficial do filme, que é muito bem feito, sinceramente, nota ZERO para a distribuidora nacional ou sei lá quem cuide desta área. Dá uma olhada:

Até a versão em espanhol ficou mais interessante:

Curiosidades

– O filme é dirigido por Don Roos que escreveu roteiros como ‘Marley e Eu’ (Marley and Me) e já dirigiu outro filme com Lisa Kudrow, Finais Felizes (Happy Endings), além de dirigir ‘Mais que o Acaso’ (Bounce).
– As Coisas Impossíveis do Amor  foi finalizado em 2009, mas ficou dois anos engavetado.

Ficha Técnica

dirigido por … Don Roos
produzido por:

  • Carol Cuddy
  • Marc E. Platt

produtores executivos:

  • Natalie Portman
  • Dan Bucatinsky

roteiro adaptado por … Don Roos
baseado no livro de … Ayelet Waldman

estrelando:
Natalie Portman
Lisa Kudrow
Lauren Ambrose
Scott Cohen
Mona Lerche
Mary Joy

música … John Swihart
edição … David Codron
ano de produção … 2009
ano de lançamento … 2011
duração … 119 minutes

Ps

Pessoal, queria lembrar, deixe um comentário se você leu, comente, critique, enfim, não passe em branco. Ah, aproveita e me segue no twitter, também aproveita e se inscreve na newsletter do blog, ali do lado direito, porque eu mando informações exclusivas por lá, é isso…Até! Ah… estava esquecendo, vou falar de mais um filme da Natalie Portman no próximo post…

3 Responses to Novamente ela, Natalie Portman
  1. CARLA MAGALHÃES

    Oi!
    Estou sempre por aqui, adoro o site. Vim pela primeira vez através de uma busca no Google pela trilha sonora de um filme. Assinei a Newsletter, mas não recebo as atualizações.
    De qualquer maneiro, apareço sempre!
    Bom final de semana,
    Carla

  2. João Maria

    Muito bom o filme. Realmente o poster oficial é muito melhor.

  3. Cristiane

    O filme é ótimo! Sacudiu com o meu emocional…
    Gostei do filme, justamente por ser um filme de gente real, realmente muito próximo da nossa realidade.

    Eu queria, e muito, o livro, mas acredito que não foi lançado ainda no Brasil, pois pesquisei em alguns sites, e só achei a versão em inglês…

    Carpe diem,
    Cristiane.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *