Tudo Pode dar Certo (!?)

Boris Yellnikoff (Larry David) é um velho rabugento que tem o hábito de insultar seus alunos de xadrez, mesmo que sejam crianças. Ex-professor da Universidade de Columbia, ele considera ser o único capaz de compreender a insignificância das aspirações humanas e o caos do universo, ele não se coloca como a pessoa mais inteligente do mundo, mas ao menos não convive com ninguém mais inteligente que ele.

Como todo filme de Woody Allen, é baseado no diálogo e usa um recurso também interessante que Allen constuma usar, o protagonista, em algumas poucas vezes, conversa com o expectador, no maior estilo ‘Curtindo a Vida Adoidado’, lembra quando Ferris (Matthew Broderick) conversa olhando para a câmera? Uma diferença neste filme é que, as pessoas ao redor, percebem que ele está falando com alguém, mas não entendem exatamente com quem.

Boris é um personagem no mínimo esquisito. Sofre de pânico, TOC e diversas outras doenças e esquisitices. Apesar do extremismo no pensamento de Boris, o filme lhe causa grandes reflexões sobre a vida, sobre as pessoas, sentimentos e tudo mais. Claro que extremos nunca funcionaram, mas é assim, com tudo mostrado de forma tão exagerada, que podemos enxergar o que deveria ser uma sutileza.

A história de Boris, de uma maneira bastante cliché, começa a sofrer mudanças, do convívio com a também estranha, porém bela e meiga, Melodie St. Ann Celestine (Evan Rachel Wood), que ao fungir de casa e sem ter para onde ir, implora para ficar um tempo na sua casa, ele atende ao pedido a contragosto, ela vai ficando e aos poucos ambos vão aprendendo a conviver entre eles.

Talvez uma das coisas mais bacanas que o Woody Allen faz, é esta coisa de mostrar muito a cidade, o modo de vida, a sensação de como é viver no lugar em que o filme vai acontecendo.

As reviravoltas na história são responsáveis pelos momentos engraçados. É um ótimo filme para assistir em uma tarde chuvosa e fria.

Ficha Técnica

título original … Whatever Works
gênero … Comédia
duração … 1 hr 32 min
ano de lançamento … 2009
direção: Woody Allen
roteiro: Woody Allen
fotografia: Harris Savides

Elenco

Evan Rachel Wood … Melodie St. Ann Celestine
Patricia Clarkson … Marietta (mãe de Melodie)
Larry David … Boris Yellnikoff
Ed Begley Jr. … John
Henry Cavill … Randy James
Willa Cuthrell-Tuttleman … Enid
John Gallagher Jr. … Perry
Jessica Hecht … Helena (Se você não a reconhecer, é a Susan Bunch de Friends, a mulher da ex-esposa do Ross, Carol Wilick)
Lyle Kanouse … Ed
Oleg Krupa … Morgenstern
Carolyn McCormick … Jessica
Michael McKean … Joe
Christopher Evan Welch … Howard

Imagens

O filme tem uma beleza fotográfica muito interessante. Especialmente as cenas gravadas dentro do apartamento de Boris, com um tom desaturado, para dar um ‘ar’ ainda mais melancólico a Boris, contrastando com as cores e jovialidade de Melodie.  Um estilo meio ‘Amelie Poulain’.

Em outros momentos, tudo é muito mais colorido, acompanhando sempre, o tom de dramatização da história.

Apesar de não ser nada parecidas, durante muitas vezes no filme, Evan Rachel Wood me lembrou a bela Brittany Murphy, talvez seja o jeito meio menina, meio moleca, da personagem.

Hoje no Altas Horas, Bruno Mazzeo apareceu com uma camiseta com a cara do rabugento Boris.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *