Nosso Lar [filme]

Acabei de assistir Nosso Lar, filme que eu já havia feito um post aqui.

Confesso que o assunto é do meu mais profundo interesse, mas me decepcionei com o que vi. Assim como muitas igrejas evangélicas que pregam que, somente quem segue determinada religião será ‘poupado por Deus’ em um eventual arrebatamento, fadando todas as outras religiões e crenças a um trágico fim, fica claro a tendência de enaltecer a crença espírita neste filme. Não gosto e não acredito muito em um Deus seletivo. Se de um lado temos católicos que se julgam donos da verdade, do outro, evangélicos acreditam em arrebatamento seletivo e espíritas que acreditam em um mundo, pós vida terrena, que parece de exclusividade espírita, alguém está errado.

O filme em si é muito ruim, muita preocupação em efeitos especiais e pouca preocupação em contar uma boa história. Parece que o filme pulou partes importantes. Em resumo, o ‘céu’ que projetamos em nossas mentes, sem obrigações, sem trabalho, sem cobranças, sem hierarquias, sem punições, parece estar longe do que prega o espiritismo.

Talvez você esteja se perguntando: Onde o filme é tendencioso?

Em determinado momento, o filme mostra a eterna ligação que temos com os entes queridos e menciona como única forma de comunicação direta, o uso de médiuns (existentes na doutrina espírita). Também não entendi uma cena, onde a empregada, negra, gorda e idosa, no maior estilo ‘Mãe de Santo’, consegue ver o espírito do personagem principal, enquanto toda a família não.

A lógica do filme também não faz sentido, faz a existência na terra parecer algo penoso e insignificante, como se morrer fosse melhor. Além da velha história de pessoas que não mereceram entrar diretamente no céu, que portanto não foram tão corretas em vida, acabarem sendo as que mais recebem atenção. Deveria ser o contrário, no mínimo.

Os atores são muito ruins, parecem vendedores de livro. Falam de maneira muito articulada, impostada, ficou muito artificial.

Chico Xavier dizia que as pessoas se aproximam do espiritismo pela dor ou pelo amor. A maneira aparentemente simples, mas acima de tudo, confortante diante da morte, é certamente o que atrai as pessoas para o espiritismo. Dizer que nada acabou, que tudo continua, que você verá todas as pessoas que já se foram, que ficarão juntos na eternidade é sem dúvida muito confortante para alguém que não aceita a morte de um ente querido.

Sinceramente não me convenceu. Essa visão ultra moderna das cidades, repletas de formas de organizações sociais, setores e mais setores de desenvolvimento humano, não são exatamente a idéia que eu teria do céu. Foge tanto da idéia de simplicidade que Jesus Cristo sempre pregou. O ator principal, Renato Prieto está muito mal. Não dá para se envolver com o personagem, achar que realmente ele sofreu grandes mudanças de vida. Seus conflitos parecem superficiais demais.

O filme é inspirado, segundo os livros de Chico Xavier, em um personagem verdadeiro, uma pessoa desencarnada, que enviou seus escritos através da psicografia de Chico Xavier. Acredito que ele tinha intenções nobres, mas infelizmente, não é de um só homem, que se faz uma nação. Todas as religiões, comandadas por pobres mortais, estão sujeitas a manipulações. Acho sinceramente que o filme depõe contra quem não sabe nada de espiritismo.

Como sempre, minha fé segue inabalada, indiferente aos discursos de todas as religiões.

2 Responses to Nosso Lar [filme]
  1. ahm

    Pffff… Você não entendeu nada do filme.

    R: Seu segundo comentário sem identificação. Se você acha que não entendi o filme, aproveite para explicar. Mas não se esqueça que ser entendido, é um princípio básico de quem se comunica. Se o filme foi feito para espíritas, erraram no tom. Já que você acredita que eu não entendi o filme, você deve ser espírita, lá pregam intolerância? No filme do Chico Xavier, explicação e esclarecimento era sua busca constante. Deveria ser a sua.

  2. Richard

    Caro Sr., o filme é perfeito em mostrar o que acontece logo após a morte.O céu que você projetou em sua mente existe,mas num estágio muito mais avançado.Ainda assim,lá existe trabalho ,hierarquia e obrigações, mas não existem mais punições. O planeta Terra é um lugar de expiação, ou seja, um lugar para se sofrer. A vida aqui é apenas uma passagem rápida, a vida mesmo é a vida espiritual. Infeliz a sua observação sobre uma mulher negra, gorda e idosa poder ver o espírito do ator principal, enquanto a sua família não. Ora, só quem pode ver espíritos ou recebê-los ou escrever suas mensagens chamam-se médiuns, e não interessa se é gordo,magro, negro,branco, pobre ou rico, mas são uns poucos privilegiados. O filme não é um filme americano com um enredo que agrada o telespectador, mas é a história fiel de onde o Dr Andre Luiz foi após sua morte.Quanto a sua idéia do céu, ela não é importante, o importante é que você se balize pela caridade e humildade, assim, não interessará de que religião você for adepto, você estará bem com Deus.Fora da caridade não há salvação.Forte abraço!

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *