Quadro – Notting Hill

Recebi um pedido da Carla para ajuda-la sobre o quadro que Anna Scott (Julia Roberts) presenteia William Thacker (Hugh Grant).
Achei mais interessante dedicar um post a este assunto, porque talvez mais pessoas tenham essa curiosidade.

Carla que me escreveu pensou se tratar de um Van Gogh, mas na verdade é “La Mariée” (A Noiva). Uma pintura de 1950 feita pelo artista Marc Chagall.

Ficção: Após Will descobrir que Anna tem um namorado, Jeff King (Alec Baldwin), eles ficam meses sem contato, até que Anna aparece na casa de porta azul em Notting Hill, pois está envolvida em um escândalo. Os tablóides ingleses divulgaram fotos nuas de Anna, feitas em um ‘passado distante’. Enquanto tomam café da manhã, Anna vê uma impressão de La Mariée na parede da cozinha da casa de Will e diz achar interessante ele ter este quadro. Mais tarde, no final do filme, Anna procura Will em sua livraria para lhe pedir desculpas e dizer que lhe ama. Ela lhe trouxe um presente, o que seria na realidade a obra original de “La Mariée.

Verdade: O verdadeiro quadro “La Mariée” pintada por Chagall faz parte da coleção particular de uma família no Japão. Para usar uma réplica no filme, foram obrigados a conseguir uma autorização dos verdadeiros proprietários e uma liberação do British Design e Copyright Artists Society, com um acordo de que a réplica teria que ser destruída após as filmagens. A tela original está cotada entre 500 mil e 1 milhão de dólares.

Marc Chagall

Nascido em 07 de julho de 1887, viveu entre Rússia e França grande parte de sua vida. Considerado um dos mais bem sucedidos artistas do século XX. Foi um dos pioneiros do modernismo e alcançou fama e fortuna na sua carreira bem sucedida em várias vertentes como: pinturas, ilustrações de livros, vitrais, cenários, cerâmicas, tapeçarias e gravuras de arte.

Chagall foi considerado “o último sobrevivente da primeira geração de modernistas europeus.” Sua obra mais importante foi feito às vésperas da I Guerra Mundial, quando viajou entre São Petersburgo , Paris e Berlin. Durante este período, ele criou sua própria mistura de estilo e de arte moderna com base em suas visões do Leste Europeu. Ele passou seus anos de guerra na Rússia, tornando-se um dos mais distinguidos artistas do país e de um membro do modernismo avante-garde , fundando a “Vitebsk Arts College” antes de voltar para Paris em 1922.

Ele era conhecido por ter duas reputações básico, escreve Lewis – como um pioneiro do modernismo, e como um grande artista judeu. Ele vivenciou a era de ouro do modernismo em Paris, onde sintetizou as formas de arte do cubismo, simbolismo e fauvismo. Foi a influência do fauvismo que originou o Surrealismo

No entanto, ao longo destas fases do seu estilo, ele permaneceu mais enfaticamente, um artista judeu, cujo trabalho foi um longo devaneio sobre sua vida em sua cidade natal em Vitebsk. Pablo Picasso observando sua obra “When Matise Dies” de 1950 disse: “Chagall é o único pintor que entendeu direito, o que as cores realmente são”.

Por isso a impressão da Carla, achando que a obra era de Van Gogh tem muito fundamento, afinal ambos foram grandes influências dentro do modernismo.

One Response to Quadro – Notting Hill
  1. Carla - Brasília-DF

    Obrigada mesmo…poxa! Adorei seu post…eu perguntei pq eu criei um blog (meu primeiro Blog) e vou falar sobre arte, sua história e grandes negocios…da uma passada lá…
    http://www.negociodaarte.blogspot.com

    Fiquei muito feliz com seu post!
    Ja estais nos meus favoritos!

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *