Mell Peck – Uma paixão em um minuto

Você não precisará mais que isso para cair de amores por esta cantora brasileira, moradora da cidade gaúcha de Sapucaia do Sul. Tudo bem, talvez sua beleza e suas inúmeras tatuagens estivessem influenciando minha capacidade de discernimento. Resolvei então ouvir mais que um minuto, passei a achá-la ainda mais talentosa e bela. Eu estava certo, Mell com perdão do trocadilho, possui uma das vozes mais doces que eu já ouvi.

Conheci o trabalho da Mell através da canção ‘Dia Especial’, uma regravação da banda gaúcha Cidadão Quem, banda que eu atendi de 2004 até o seu fim definitivo em 2014. Depois vieram a versão do Pouca Vogal, projeto que também envolve meu amigo Duca Leindecker. Eu precisava ouvir mais, e sua canção virou trilha sonora dos meus dias. Você deve estar achando que estou exagerando, mas pense por um minuto no resultado de uma bela cantora, com uma bela voz, com uma ótima capacidade de reestruturar excelentes canções e com escolhas musicais extremamente precisas.

Na sua lista de covers ela passa por: The Cranberries (Aliás, sua voz em muito se assemelha a Dolores O’Riordan), ColdPlay, Alexandre Nero, Los Hermanos, Enya, Charlie Brown, Linkin Park, The Corrs, Clarice Falcão, Legião Urbana, Paralamas, Tiê e uma lindíssima e surpreendente versão de Misty Mountains Cold, tema da trilogia O Hobbit.

Ela consegue inclusive fazer versões de bandas ou cantores que eu não acompanho muito, mas que acabam ficando excelentes em sua voz. Eu cai de amores deliberadamente pela Mell e tenho certeza que em um futuro breve, compartilharei desta paixão com milhares de pessoas. Vou escolher alguns vídeos para você aproveitar a oportunidade e incluir a Mell Peck em seus dias também, assim como fiz. Tem inúmeras canções em seu canal. Ouça todas…

Como seguir a Mell Peck:

YouTubeInstagramFacebookSoundcloud


 

Dia Especial – Cidadão Quem

Acho – Alexandre Nero

A Noite – Tiê

Melhor que o original…

Regravações são sempre uma loteria. Algumas ficam boas e outras acabam destruindo a canção original, principalmente se tratar de um sertanejo cover de alguma canção americana. Mas existem aqueles capazes de criar algo ainda mais interessante do que o próprio autor compôs para sua obra. Vou listar algumas que me vêem a menta agora:

Conversa de Botas Batidas

A canção dos Los Hermanos, gravada originalmente em 2003 para o álbum Ventura, recebeu esta lindíssima versão gravada pelo cantor carioca Cícero, que teve a genialidade de colocar uma citação linda de Carlos Drummond de Andrade, feita pelo próprio escritor. Impecável a versão feita para o projeto Re-Trato, que aliás, possui diversas versões que poderiam estar aqui nesta lista.

Como vai Você

Antônio Marcos foi a sensação da música romântica no Brasil entre as décadas de 70 e 80. Me recordo dele pois minha mãe era fã do cantor e ainda por cima dizia que ele era parecido com meu pai. Renato Godá fez uma versão de um dos seus maiores sucessos, no projeto Amor Maior da Musicoteca, para homenagear o cantor pelos 20 anos de sua morte.

We Found Love

Qualquer versão de uma música da Rihanna provavelmente seria melhor que o original, mas deixando o preconceito de lado, a cantora Ingrid Michaelson do qual sou fã, fez uma versão do sucesso da cantora, para o seu projeto intitulado Army 3, onde junto com dois amigos músicos, faz regravações de sucessos pops em uma outra roupagem. Bem bacana o resultado.

Pretty Woman

Desta vez foi o Van Halen que fez uma versão mais rock’n’roll do clássico do Roy Orbison.

What a Wonderful World

Nenhuma versão e nenhum músico conseguiria substituir a belíssima voz de Louis Armstrong, mas como o Ramones conseguiu deixar a música bem bacaninha, ideal para uma baladinha rock’n’roll anos 90, vale o registro.

In My Life

Beatles é Beatles, mas Johnny Cash é Johnny Cash. O que dizer da versão que ele fez de In My Life? Simplesmente emocionante na sua voz de trovão.

Hurt

Assim como In My Life regravada por Cash, Hurt fez parte do álbum American IV: The Man Comes Around. Nesta canção Cash conseguiu algo ainda maior. Transformou a canção sem graça do Nine Inch Nails em uma obra de arte. O clipe de Hurt, com um Cash muito abatido pela doença, com uma voz bastante fragilizada é certamente uma das canções mais lindas que já ouvi.

Tempo Perdido

Tiago Iorc é definitivamente uma sumidade. O jovem cantor conseguiu regravar uma canção da Legião Urbana e conseguiu incrivelmente fazer uma versão lindíssima de Tempo Perdido. Assim como fez com Sorte do Caetano Veloso, Música Inédita da Cidadão Quem e Morena dos Los Hermanos.

Birdy – Fire Within

Eu falei a primeira vez sobre a Birdy em 2011, quando encontrei misteriosamente um link do seu primeiro álbum, o qual não havia sido lançado oficialmente, ao menos não na iTunes. Me apaixonei nos primeiros 10 segundos da primeira canção e desde então está na minha do que ouço regularmente.

birdy-fire-within-deluxe-2013

Este ano, felizmente ela lançou seu segundo álbum, que não poderia ser ruim, após o debut de alto nível do disco homônimo, com regravações de outras bandas das quais sou mega fã: Bon Iver e The Nacional. O álbum foi anunciado em 10 de julho, quando um vídeo incluindo cenas dela em estúdio, trazia uma prévia de ‘Wings’ e ‘No Angel’. Assista abaixo:

Birdy – My New Album (From The Studio)

O primeiro clipe oficial do álbum foi publicado no dia 02 de agosto. Se trata da belíssima canção ‘Wings’. O clipe não ficou atrás da música, aliás, em clipes a Birdy é sempre impecável no que produz. Assista:

Birdy – Wings

O lançamento oficial no pré-order da iTunes foi 23 de setembro de 2013. Um detalhe muito importante. Todas as canções do álbum são de composições da própria Birdy. Apesar das belíssimas canções de trabalho, a música que mais curto do álbum é Maybe. Ainda mais se você bate palminhas no ritmo da canção. Experimente, pois é super divertido.

Playlist

  1. Wings – 4:12
  2. Heart of Gold – 3:34
  3. Light Me Up – 4:15
  4. Words As Weapons – 3:59
  5. All You Never Say – 4:38
  6. Strange Birds – 3:03
  7. Maybe – 3:14
  8. o Angel – 4:03
  9. All About You – 4:37
  10. Standing in the Way of Light – 4:04
  11. Shine – 4:04

Cidadão Quem – Nosso Próprio Mar

Cidadão Quem? A pergunta não é um trocadilho com o nome, mas a inesperada notícia do retorno de uma das melhores bandas do rock nacional, que parou suas atividades lá em 2008. Para quem não sabe, durante o lançamento do álbum 7, o Luciano Leindecker, baixista e irmão do Duca Leindecker, vocalista da banda, foi diagnosticado com uma doença que acabou o afastando dos palcos por um tempo. A banda precisou dar uma pausa nos shows, no exato momento em que o Humberto Gessinger (Engenheiros do Hawaii), parava suas atividades com sua banda. Da oportunidade e necessidade, a parceria de longa data gerou o projeto Pouca Vogal.

Cinco anos após o hiato da Cidadão Quem, após o fim do projeto Pouca Vogal, Duca lança seu segundo álbum solo, intitulado: ‘Voz, violão e batucada’. O primeiro ainda foi lançado quando ele tinha apenas dezessete anos, antes mesmo de formar sua banda ao lado do irmão e do saudoso Cau Hafner.

Ainda iniciando os trabalhos de divulgação do novo álbum, recebi uma DM do Duca pedindo meu telefone. Jamais poderia imaginar a notícia que ele tinha para me dar:

– Jeff, a Cidadão vai voltar. Ainda está em sigilo, mas precisamos preparar o material de lançamento.

O tão desejado, muito esperado e pouco provável retorno da Cidadão Quem aconteceu. Eles preparam uma tour de comemoração dos 20 anos da banda, durante o próximo ano. E para deixar todo mundo na pilha, resolveram lançar um single.

‘Nosso Próprio Mar’ é novamente uma obra-prima do Duca, que além de músico e compositor, mantém uma carreira de sucesso como escritor. Este ano foi produtivo, além do álbum solo, das projeto de retorno da Cidadão, Duca acaba de lançar seu terceiro livro. Após ‘A casa da esquina’ (1999) e ‘A favor do vento’ (2002), chegou as bancas ‘O Menino que Pintava Sonhos’.

Estou emocionado de novamente fazer parte de mais um momento histórico desta banda que aprendi a admirar ainda na adolescência, lá pelos idos de 1997.

Tiago Iorc Covers

O Tiago tem algo muito especial. A capacidade rara de regravar canções e conseguir produzir algo tão relevante ou ainda mais especial que o original.

Aqui mais quatro registros fantásticos. Um cover da Legião Urbana com Tempo Perdido no Studio 62, um cover de The Beatles / John Lennon com Imagine na Strawberry Fields em NY, um cover de Los Hermanos com Morena no Chiado de Lisboa em Portugal e um cover de Radiohead com a canção Creep no Manhattan Balcony em NY.

Tempo Perdido – Legião Urbana

Imagine – John Lennon

Morena – Los Hermanos

Creep – Radiohead

Cada frase renderia uma camiseta…

Um Dia Após o Outro

Tiago Iorc

Pra começar
Cada coisa em seu lugar
E nada como um dia após o outro

Por que apressar?
Se nem sabe onde chegar
Correr em vão se o caminho é longo

Quem se soltar, da vida vai gostar
E a vida vai gostar de volta em dobro

E se tropeçar
Do chão não vai passar
Quem sete vezes cai levanta oito

Julga saber
E esquece de aprender
Coitado de quem se interessa pouco

E quando chorar
Tristeza pra lavar
Num ombro cai metade do sufoco

O novo virá
Pra re-harmonizar
A terra, o ar, água e o fogo

E sem se queixar
As peças vão voltar
Pra mesma caixa no final do jogo

Pode esperar
O tempo nos dirá
Que nada como um dia após o outro

O tempo dirá
O tempo é que dirá
E nada como um dia apos o outro.

Next Posts