Madonna – MDNA

Quem está de álbum novo na praça é a majestade Madonna, afinal, dizem que quem já foi rainha, nunca perda a majestade. Títulos e honrarias à parte, eu não vou falar muito do novo álbum, intitulado MDNA. Que aliás, pode ter várias interpretações, pode ser apenas uma abreviação de MaDoNnA ou pode ser M DNA, algo como DNA de Madonna? Humm? Pode ser ambos, pode ainda ser outra coisa.

O álbum que foi disponibilizado na iTunes, no famoso sistema pré-order, tem seu lançamento oficial marcado para 26 de março de 2012. Junto com o pré-lançamento, o single ‘Give Me All Your Luvin’ é a primeira faixa que já pode ser comprada e ouvida. O single traz participação da cantora londrina M.I.A. e da cantora natural de Trinidad Tobago, hoje com residência nos Estados Unidos, Nicki Minaj.

São anunciadas pela iTunes, 18 faixas + o Digital Booklet. Porém as faixas 17 e 18 ainda não possuem nomes. O que eu queria chamar muito a atenção é para a capa do álbum, que novamente é excelente.

O livro se compra pela capa mesmo, olha algumas das melhores capas lançadas pela Madonna até hoje:

 

 

Clarice Falcão e suas canções de amor…

Eu já falei da atriz e cantora Clarice Falcão em outro post há poucos dias. Além do vídeo produzido para o canal Parafernalha (aquele do Felipe Neto), com a música ‘Uma Canção Sobre o Amor, Ah o Amor…’, ela tem outros dois vídeos publicados no seu próprio canal (/falcaoclarice). Assim como em ‘Uma Canção Sobre o Amor’, ela novamente brinca com estas histórias tragicômicas que só o amor pateticamente pode criar. É assim durante a adolescência e seus amores platônicos ou durante o primeiro grande amor, todo mundo faz uma tempestade em copo d’água, acha que a vida vai acabar por não ter seu amor correspondido, como se fosse a última pessoa no mundo que você irá conhecer. É um dramalhão onde o mundo gira exclusivamente em torno da pessoa amada e todas as suas prioridades passam a ser uma só. Para quem vê de fora, acaba achando tudo engraçado.

Nas interpretações da Clarice, o mais divertido é este espírito bipolar, do oito ou oitenta, tudo ou nada, o amor ou a morte.

Macaé

Em Macaé ela é uma doce menina maluquinha que digamos, não tem exatamente a noção da sua paranóia ou tem, mas não está muito preocupada com isso.

A Gente Voltou

Em A Gente Voltou é exatamente aquilo que já falei, a ideia de que tudo gira em torno do seu amor. Você esquece dos amigos, da família, nem comer mais você tem vontade.

Qualquer Negócio

Em Qualquer Negócio a clássica submissão que compreende todos muitos relacionamentos. Onde fazemos qualquer negócio para agradar a pessoa amada, esquecendo de nós mesmos, esquecendo do quanto nos desvalorizamos com esta atitude e consequentemente seremos desvalorizados dentro da relação.

Como as músicas são muito divertidas e não encontrei elas disponíveis para download, resolvi fazer um arquivo com os MP3s, assim você pode ouvir no seu mp3player. Aproveitei e fiz uma capa para ilustrar os singles, para quem usa iPod, iPhone ou iPad. Este arquivo tem as quatro primeiras canções gravadas pela Clarice Falcão. Se eu fosse você, além de fazer o download, procurava coisas sobre ela no Youtube, tem videos divertidos da série que ela faz, chamada ‘Vendemos Cadeiras’, que passa no Multishow. Quem sabe um dia ela lança um disco.

Download – Singles

E.M.I.C.I.D.A.

A primeira vez que ouvi falar do Emicida foi completamente por acaso. Eu estava fazendo algumas pesquisas na internet quando encontrei um link para o site do The Creators Project e resolvi falar sobre o documentário feito sobre ele e a produção de um álbum, viabilizado pelo projeto patrocinado pela Intel. O mais engraçado é que eu me interessei antes pela sua história de vida do que pelas suas músicas, até porque o documentário não explora as músicas. Baixei o cd que era disponibilizado gratuitamente e a música do cara colou na mente, já me sentindo um catarina em Sampa. Parecendo vendedor de Herbalife, oferecendo as músicas dele para todo mundo. É engraçado analisar como as pessoas reagiam quando colocava a música. A pergunta sempre era:

Mas é rap?

Tipo: É rap mesmo? Você tá mesmo ouvindo música de preto e bandido?

Nasci em SC, no meio da maior colônia de alemães do país, mas desde moleque eu gosto de rap e tudo começou com um cd chamado Rap Brasil. É claro que o rap mudou muito de lá para cá, mas este foi o primeiro cd, aos 13 anos de idade. É muito bacana ver o Emicida cantando em Blumenau, uma das cidades onde o Nazismo teve seus simpatizantes.

Emicida

Falar do Emicida atualmente pode parecer redundante, o garoto que invadiu a internet, depois os canais da MTV e o Multishow e depois os canais de tv aberta. Mas a maquiagem e o floreio que eu poderia colocar em cima disso tudo, não pode esconder o real motivo que fez ele ‘chegar’.

Eu não preciso ensaiar sobre o assunto, as respostas você encontra em cada rima de ‘Doozicabraba’. Emicida é mais um garoto pobre da periferia de São Paulo, com talento artístico e que fez uso deste talento como a única possibilidade de mudar uma realidade triste e autenticamente brasileira. Um garoto que sentiu os problemas do país na própria pele, que carrega as marcas sentimentais e psicológicas que a falta de perspectiva nos traz, transformando tudo em rima, sintetizando tudo aquilo que ignoramos.

Mas por que o negro e pobre agora faz evento granfino? Emicida é o estereótipo do pobre limpinho. Tem o perfil que eles esperam do pobre e do negro. O pobre que não está envolvido em tráfico, não representa ameaça, o pobre que sabe se comportar em qualquer realidade que o coloquem, que fala bem, que é articulado, que não tem talento para maluco, consciente e focado, trabalhador, honesto, pai de família, artista de qualidade.

Emicida é o rapper que protesta com inteligência, que não acredita que polícia só serve para bater em pobre, que não incita a violência física, que consegue promover uma revolução silenciosa, organizada, sem anarquia, sem caos. Ele é a bola da vez, é a mente pensante entre as músicas de ‘coração partido’, que nada acrescentam além de entretenimento barato. Seu trabalho tem função social, é a arte na sua mais importante função, afetadora.

Doozicabraba é o relato mais fiel do quanto a fama tenta desviar o foco, por isso Emicida faz questão de deixar claro que ele ainda é ‘RUA’. Enfrentando a inveja daqueles que ficaram pelo caminho e tentando se adaptar a este novo mundo estranho, tentando provar que mantém a humildade e equalizando com a dose exata de arrogância necessária para impor respeito por onde passa. Emicida é um símbolo da revolução que começa de baixo para cima. Quero saber quando tempo os ‘PLAY’ vão continuar achando tudo isso divertido. Emicida é malandro, não se deixou envenenar pela fama, a mesma porta que ele abrir para entrar, ele deixou aberta para o dia que pedirem para ele se retirar. Por isso que o seu trabalho na internet, que o lançou para a mídia, continua forte. A venda e produção de cds continua de forma independente, promovida pelo Laboratório Fantasma, produtora que ele criou para produzir tudo que faz. Exatamente como começou, ele continua.

O início e Musicografia

Emicida nasceu Leandro Roque Oliveira, exatamente na mesma data que eu, 17 de agosto, três anos depois de mim. Você acha que foi fácil? Ele começou a carreira ainda no início dos anos 90. O pai que era dj de bailes Black, faleceu quando ainda era o menino Leandro. Ficou inicialmente conhecido pelas suas inúmeras vitórias em batalhas de MC’s, o que lhe rendeu o apelido de Homicida de MC’s, declarou: – Isso mesmo, Emicida. Suas primeiras gravações datam de 2005, quando entrou para os desafios e batalhas. Em 2008 gravou seu primeiro single, produzido por Felipe Vassão, Triunfo (capa 1), uma das suas melhores composições. No primeiro mês vendeu 70 cópias. A mudança começou a acontecer quando o clipe da música, publicado no Youtube, teve mais de 670 mil views.

No primeiro trimestre de 2009 é lançado a sua Mixtape de estreia, ‘Para quem já Mordeu um Cachorro por Comida, até que eu Cheguei Longe’ (capa 2). A mixtape traz 25 faixas gravadas desde o início da carreira. Foi indicado para três prêmios do VMB 2009. Em 2010 é a vez do single ‘Besouro’ (capa 3), incluido mais tarde em sua segunda Mixtape. Mais tarde é a vez do EP ‘Sua Mina ouve meu rep tamem’ (capa 4). Ainda em 2010 ele grava sua segunda Mixtape, Emicídio (capa 5). Em 9 de setembro Emicida grava sua participação no Programa do Jo e novamente a internet lhe traz outro impulso, seu nome vai parar no TT World. Em 2011 regrava o single ‘Quero ver Quarta-Feira’  (capa 6), com participação de Mart’nália, Damien Seth e Nilo Romero.

Doozicabraba e a Revolução Silenciosa

Eu falei sobre este álbum aqui. Gravado em NY pelos americanos K-Salaam e Beatnick em parceria com The Studio, teve participações da cantora Paola Lucio, Rael Da Rima, Evandro Fióti, Don Pixote, MV Bill e as batidas de Beatnick e K-Salaam. O download do disco foi disponibilizado gratuitamente na internet, para baixar era necessário postar um tweet. A festa de lançamento do álbum aconteceu durante o festival The Creators Project: Brasil 2011, realizado no Pavilhão da Bienal, no Parque do Ibirapuera, que eu também falei aqui. O EP conta com 9 faixas, além de uma bônus presente somente no cd.

Recente

Provavelmente quando você ler este post, o Emicida já fez outra participação importante, outro show memorável ou ganhou algum outro prêmio. Nos últimos tempos foram: Rock In Rio, prêmio Bravo de Cultura, show em Nova Iorque, e premiação do VMB. Emicida concorreu em 3 categorias: Hit do Ano com ‘Rua Augusta’, Artista do Ano e Clipe do Ano com ‘Então Toma’, levando os dois últimos, sendo que Artista do Ano é considerado o destaque da edição. Agora vem sua participação no SWU.

 

Fink – Perfect Darkness

Como prometi no post que fiz sobre a biografia do Fink, eu voltaria a falar de novos trabalhos dele, e um cd novinho novinho está chegando. Eu já tenho o cd comigo, apesar de ainda nem ter sido lançado pelo iTunes, marcado para 15 de julho.

Perfect Darkness é seu quinto álbum. Fink estreou com Fresh Produce, lançado em 2000 e seu segundo álbum, Biscuits for Breakfast só foi sair em 2006. Na sua biografia, ele só apresenta os últimos quatro cds, começando a contar sua história em 2006, bem provavelmente porquê ao contrário do seu indie/rock, Fresh Produce é um projeto de música eletrônica. Depois de Biscuits for Breakfast vieram: Distance And Time (2007) e Sort of Revolution (2009).

A primeira música que me chamou a atenção foi “Yesterday Was Hard On All Of Us”, que está no player do site.

Playlist

  1. Perfect Darkness
  2. Fear Is Like Fire
  3. Yesterday Was Hard On All Of Us
  4. Honesty
  5. Wheels
  6. Warm Shadow
  7. Save It For Somebody Else
  8. Who Says
  9. Foot It In The Door
  10. Berlin Sunrise

Download

No site do Fink, as pessoas podem comprar por € 40, ou € 50, um combo de Camiseta+Cd Autografado+Ingresso para o show+Download do Cd+Download de uma música exclusiva. Você compra o combo já indicando em que show pretende ir. Infelizmente sua turnê é só pela Europa. Então como você provavelmente não vai encontrar o cd dele em nenhuma loja brasileira e como poucas pessoas tem acesso ao iTunes, vou disponibilizar o cd para download, em primeira mão. O arquivo possui todas as infos, capa em alta definição (para quem usa iPad) e já está dentro dos padrões de iPhone e iPod. Claro que se você não tem nada disso, pode ouvir o mp3 em seu PC mesmo.

Download Cd Completo

Aproveita e divulga o cd para seus amigos no Feicebuque, é só clicar no LIKE aí em baixo… Simples simples simples… Mamãozinho com açúcar…

Your Highness

Eu me comprometi no último post a falar novamente da Natalie Portman. Afinal foram três filmes que ela estrelou em 2011: ‘As Coisas Impossíveis do Amor’ (The Other Woman), Thor e agora Your Highness (Em tradução livre: Sua Alteza). Finalmente ela volta a estrelar uma comédia. A última e única experiência anterior foi há 11 anos, em Zoolander (recomendo).

Como ainda não sei o título oficial que o filme terá no Brasil, vamos tratar pelo original.

O Filme

Prestes a se casar Fabious (James Franco) tem sua noiva, Belladonna (Zooey Deschanel), capturada em pleno altar pelo feiticeiro Leezar (Justin Theroux). Ao lado de seu irmão Thadeous (Danny McBride), um cavaleiro não lá muito habilidoso, eles decidem ingressar em uma aventura para salvar Belladona. Para isso, visitam o grande sábio Feiticeiro, que lhes dá uma bússola mágica que os levará até a espada lendária do Unicórnio, em um labirinto protegido por um Minotauro. Porém eles acabam capturados por Ninfas que os levam até seu líder Marteetee (John Fricker), um feiticeiro malígno que pretende mata-los, assim como fez com os pais de Isabel (Portman) que resolve salva-los. Na verdade ela está em busca da bússula que eles carregam. No fim todos estão em busca de um mesmo objetivo, combater a galera do mal, então obviamente vão unir forças para isso.

Críticas

O filme recebeu muitas opiniões negativas de críticos americanos. Obviamente o filme se trata de uma comédia pastelão. Esta classificado no gênero Aventura/Comédia, quase ao estilo de Piratas do Caribe, mas eu acredito que Piratas do Caribe tenha mais um bom humor, uma ironia que necessariamente ser um filme de comédia. Muitas vezes as pessoas não gostam de um filme, por simplesmente esperar uma coisa e acabar vendo outra. É o mesmo fenômeno que acontece com filmes que não possuem um fim bem definido. As pessoas esperam sempre um grande desfecho, um ponto final, se alguma resposta não foi dada, tudo fica comprometido. Obviamente que vou assistir ao filme, para que eu mesmo possa ter minha opinião.

Ficha Técnica

Título no Brasil … Your Highness
Título Original … Your Highness
País de Origem … EUA
Gênero … Aventura/Comédia
Tempo de Duração … 102 minutos
Ano de Lançamento … 2011
Estréia no Brasil … 26/08/2011
Estúdio … Universal Pictures
Direção … David Gordon Green

Mesmo diretor de Segurando as Pontas, outra comédia com James Franco.

Elenco

Danny McBride … Thadeous
James Franco … Fabious
Rasmus Hardiker … Courtney
Natalie Portman … Isabel
Toby Jones … Julie
Justin Theroux … Leezar
Zooey Deschanel … Belladonna

Estréia

O filme já estreou nos cinemas americanos no mês passado, mas no Brasil, até onde me informei, a data de estréia é dia 26 de agosto, vai demorar um pouquinho.

Posters

Trailer

Novamente ela, Natalie Portman

Quem já acessa o Gelo Negro a algum tempo, já sabe da minha simpatia pela Natalie Portman. E não há como negar, ela é a garota da vez. Em 2011 ela estréia nada menos que cinco filmes, são eles: Sexo Sem Compromisso (No Strings Attached), Sua Alteza (Your Highness), As Coisas Impossíveis do Amor (The Other Woman), Thor (Thor) e Hesher, que ainda não tem nome no Brasil.

Hoje vou falar de ‘As Coisas Impossíveis do Amor’ que infelizmente, como tudo no Brasil, já começou errado pela tradução do nome. A Outra Mulher seria muito mais adequado e faz todo o sentido, quando você assiste ao filme. Na capa do DVD, trazia a frase: ‘O melhor filme de Natalie Portman desde Closer’, sinceramente achei que a frase é dispensável ou talvez quem a escreveu não tenha visto outros bons filmes que ela fez depois de Closer, e tem vários: ‘V de Vingança’, ‘ A Outra’, ‘Entre Irmãos’…

As Coisas Impossíveis do Amor é de fato um filme belíssimo, muito sensível e repleto de reviravoltas, gosto muito disso. Não gosto de filme linear demais, com começo, meio e fim delimitados demais. Se você é um pouco atento, acaba por descobrir o final ainda na metade do filme. Por isso este filme é muito interessante, quando a história parece seguir um rumo cliché, um detalhe faz tudo voltar ao ponto de partida. É um filme sem mocinhos e bandidos, na verdade é um filme de gente real, com seus defeitos e qualidades, suas picuinhas, muito próximo da realidade de qualquer um de nós.

O Filme

O filme é bastante delicado, Emilia (Natalie Portman) é uma jovem mulher que perdeu sua bebê recém nascida. Para piorar ela precisa conviver com o status de ‘destruidora de lar’, pois se casou com o advogado Jack Woolf (Scott Cohen) com quem manteve um caso, enquanto ele ainda era casado com a médica Carolyn (Lisa Kudrow). Na realidade o casamento não existia mais há muito tempo, mas Carolyn insiste em fazer com que Emilia se sinta culpada pelo fim do casamento. Além disso ela precisa conviver com uma difícil relação com o enteado, que é o tempo todo manipulado pela mãe, para ficar contra ela. Carolyn também não exita em usar a morte da bebê de Emilia para se vingar. É diante desta realidade repleta de conflitos que acontece todo o desenrolar deste drama que se tornou a vida de Emilia, que para pior ainda tem um grande problema de relacionamento com o pai.

Em muitas vezes você tem vontade de entrar dentro do filme e tirar Emilia deste furacão de sentimentos, cobranças e tristezas que ela se encontra. É interessante você utilizar o filme para uma análise da sua própria vida e de quantas situações nós mesmos nos colocamos. Ao mesmo tempo que você vê Emilia como a grande injustiçada e Carolyn como a megera, você começa a mudar a perspectiva diante de alguns fatos e entender que na realidade, todos temos um pouco de anjo e demônimo e muitas vezes, só vemos uma face desta ambiguidade, justamente dependendo do lado que estamos.

O Livro

O filme na realidade tem o nome oficial de ‘The Other Woman – Love and Other Impossible Pursuits’, algo como Amor e outras buscas (ou perseguições, anseios) impossíveis. É baseado no livro Love and Other Impossible Pursuits, escrito por Ayelet Waldman, publicado em 2006 pela primeira vez. Não achei referências se o livro foi lançado no Brasil, me parece que não. Ayelet usa muitos elementos da sua própria vida em suas obras de ficção, misturando realidade e romance. Ela de fato também foi advogada, assim como a personagem Emilia, também perdeu um filho, mas não recém nascido e sim ainda na gestação. Ela escreveu diversos livros sobre maternidade, principalmente fazendo um paralelo sobre sua incapacidade de ser uma boa mãe, já que é uma pessoa bipolar.

Erro Tupiniquim

Não entendi porquê não utilizaram o poster oficial do filme, que é muito bem feito, sinceramente, nota ZERO para a distribuidora nacional ou sei lá quem cuide desta área. Dá uma olhada:

Até a versão em espanhol ficou mais interessante:

Curiosidades

– O filme é dirigido por Don Roos que escreveu roteiros como ‘Marley e Eu’ (Marley and Me) e já dirigiu outro filme com Lisa Kudrow, Finais Felizes (Happy Endings), além de dirigir ‘Mais que o Acaso’ (Bounce).
– As Coisas Impossíveis do Amor  foi finalizado em 2009, mas ficou dois anos engavetado.

Ficha Técnica

dirigido por … Don Roos
produzido por:

  • Carol Cuddy
  • Marc E. Platt

produtores executivos:

  • Natalie Portman
  • Dan Bucatinsky

roteiro adaptado por … Don Roos
baseado no livro de … Ayelet Waldman

estrelando:
Natalie Portman
Lisa Kudrow
Lauren Ambrose
Scott Cohen
Mona Lerche
Mary Joy

música … John Swihart
edição … David Codron
ano de produção … 2009
ano de lançamento … 2011
duração … 119 minutes

Ps

Pessoal, queria lembrar, deixe um comentário se você leu, comente, critique, enfim, não passe em branco. Ah, aproveita e me segue no twitter, também aproveita e se inscreve na newsletter do blog, ali do lado direito, porque eu mando informações exclusivas por lá, é isso…Até! Ah… estava esquecendo, vou falar de mais um filme da Natalie Portman no próximo post…

Previous Posts Next Posts