Baraka Bama

Estes dias postei um vídeo de uma jornalista russa, que ao citar o nome do presidente americano Barack Obama, levantou a mão e fez um gesto obsceno, sendo mais claro, ela mandou um sincero ‘Fuck You’.

A emissora REN anunciou na quinta-feira (24), que a apresentadora Tatyana Limanova foi demitida. O incidente ocorreu dia 14, ao falar sobre o fórum de Cooperação Econômica Ásia-Pacífico (Apec), no exato momento em que citava o nome de Obama Tatyana faz o gesto obsceno. A emissora tentou amenizar a situação afirmando que Tatyana estava dirigindo o gesto aos cinegrafistas e não ao presidente americano. Afirmaram que se tratava de uma gravação em off e que ela não deveria estar sendo gravada. O comunicado ainda relata que o incidente foi uma ‘falta grosseira de disciplina’ e uma ‘falta de profissionalismo’.

Sem querer contrariar os anarquistas de plantão, mas concordo com a demissão da repórter. Além da falta de profissionalismo, afinal ela é uma repórter e como tal não deveria emitir uma opinião pessoal, a atitude foi infantil e sem graça, certamente virou hit na internet, mas de efetivo mesmo o gesto não contribuiu com nada.

Ao assistir o vídeo novamente, achei engraçado ver que os 12 vídeos relacionados são exatamente sobre o mesmo assunto. Eu particularmente nunca tinha visto isto e você? Prova de que o assunto rendeu. O Kibe Loco inseriu meu vídeo no site dele e é incrível, já passa de 50.000 views.

4shared Bloqueado

Durante quatro anos mantive uma conta no site 4Shared, onde colocava as músicas e cds que eu disponibilizava aqui. Só descobri após receber um comentário da Barbara, falando que o link da Clarice Falcão estava quebrado. Fico entristecido e confuso com os critérios de site como 4shared. 99% do conteúdo disponibilizado no site são arquivos de áudio e vídeo, de artistas do mundo inteiro. Pelo que eu entendi, os arquivos são classificados por ABUSED, após denúncias de outros usuários.

Partindo da ideia de que a existência de um arquivo só é comprovada a partir de uma pesquisa, se alguém encontra um arquivo é porque estava baixando ele, não é mesmo? Ou existem pessoas que dedicam seu tempo para fazer pesquisas no site encontrando arquivos e defendendo seus direitos autorais? A ideia é meio dubia. Como artistas poderiam se sentir incomodados por uma prática que eles mesmo validam, quando disponibilizam suas músicas para download? Ainda não entendi a lógica nisso tudo. Para mim, lei precisa ser 8 ou 80.

Muito chato, tentei mandar inúmeros emails, tentei conversar e eles só possuem a mesma resposta automática. Engraçado que nestes quatro anos, direcionei todos os meus downloads para o site deles, onde eles possuem sistemas de cobrança, ou seja, eles podem o que quiserem, nós não podemos nada. Durante quatro anos propaguei o nome do site, assim como todas as pessoas que o utilizam, criamos seus acessos, sua fama e consequentemente sua rentabilidade e em troca nos pagam com desconsideração. O link da Clarice Falcão já está no ar, fiz uma nova conta.

Felipa Neta

Parei para assistir um vídeo compartilhado no Facebook e nem me ative as considerações que essa amiga fez ao compartilhar o vídeo. Achei que se tratava de algo bacana e cliquei no play. Se tratava de uma garota que criticava veementemente o movimento Gota D’Água, que tomou a frente nos assuntos mais comentados no twitter.

Para quem não ouviu falar, se trata de um movimento encabeçado por artistas brasileiros, no intuito de arrecadar assinaturas e assim, tentar impedir a construção da Hidrelétrica de Belo Monte. Segundo a organização, o impacto ambiental será gigantesco, além da necessidade de remanejar aldeias indíginas inteiras. Por uma questão óbvia sempre serei favorável a qualquer tentativa de conservação do ecossistema. Admiro profundamente as pessoas que já batalhavam por isso, em tempos onde sustentabilidade ainda não era um assunto cool. Hoje é muito mais fácil apoiar ações de proteção ao meio-ambiente, está na moda, infelizmente nem sempre foi assim e muito do que tempos já se perdeu para sempre.

Quando damos uma opinião, principalmente com o enfatismo da “doce” Barbara Miyaji, guardem este nome, é preciso tomar muito cuidado com os argumentos utilizados, para que a sua opinião consiga obter algum crédito. Em determinado momento, quando ela está falando sobre o remanejamento de aldeias indígenas ela diz a seguinte frase:

‘A mudança de local é prevista, é só mudarem eles de local, eu já mudei três vezes de casa e não perdi uma perna por isso’.

Momento de clicar no ‘X’ do browser e pensar: Eu estava prestes a fazer um texto gigantesco contra-atacando os argumentos pífios da nossa querida adolescente-revolucionária-babaca-de-Youtube, mas depois de ouvir essa frase me deu uma preguiça inacreditável, pois se essa garota já tem 4.000.000 de views em todos seus vídeos, como eu poderei argumentar?

Novamente uma constatação de que a verdade é apenas a versão mais convincente. Enquanto a gurizada continuar sem ideia, sem opinião, vamos continuar vendo adolescente com opiniões ignorantes, conquistando um espaço que poderia ser ocupado por coisa melhor. Calma gente, o mundo não está perdido. Se há 10 anos, quando eu tinha meus 19 anos, existisse Youtube, certamente existiria uma Barbara Miyaji falando alguma merda qualquer.

Eu coloquei apenas uma imagem para ilustrar, pois sinceramente não quero fazer você perder tempo com o que eu já tive a infelicidade de perder. Só de olhar os vídeos relacionados, já me deixa mais desanimado ainda, um vídeo do Felipe Neto, certamente o muso inspirador, porque ela é simplesmente uma versão feminina dele. Até o jeitinho de mal, de revoltado, de indignado do Felipe Neto ela faz. Bem ao lado, um fã de Crepúsculo, com uns 11 anos no máximo, reclamando sobre as opiniões do Felipe Neto. Aliás, a própria Bárbara, que mantém esse canal chamado ‘Desabafo da Vida’, fala em outros vídeos sobre… adivinha… adivinha… bingoooo: Crepúsculo e Restart. Deixa eu adivinhar, ela brigou com o Fiuk no Twitter?

Por gentileza, não perca o seu tempo com isso, é sério. Agora se você quer saber como seria a participação do Felipe Neto em algum programa eleitoral ou pregando em algum culto religioso, basta clicar em algum vídeo dela que você vai ter uma noção bem próxima.

Se você ainda ficou na curiosidade de constatar a ignorância da pessoa, faça o seguinte, veja o vídeo abaixo, fala a mesma coisa, só que com graça e ironia.

Gentilezas, Internet e Clarice Falcão

Depois que crescemos um pouco, vamos perdendo aos poucos nossa ingenuidade ao longo da vida. Nem tudo nos parece tão bondoso quanto parecia na infância, não é mesmo? Passamos a identificar segundas intenções e perceber quando uma intenção ruim vem disfarçada de boa. Porém sempre questionei estas minhas percepções e a possibilidade de meus instintos se confundirem, distorcendo a realidade dos fatos. Quantas vezes você já confundiu medo com pressentimento? Você tem receio do fracasso e prefere acreditar em algum tipo de sexto sentido, um escapismo confortado com frases como: ‘não era para ser’, ‘algo me diz que não iria dar certo’.

Hoje na internet vivemos este tipo de situação frequentemente.

Quase tudo que lemos, vemos e ouvimos, possui uma segunda intenção ‘embutida’, os entendidos chamariam tecnicamente de ‘tie in’. Está difícil saber no que acreditar.

Quanto de idoneidade e imparcialidade possui aquela informação?

Quando o vendedor da TekPix fala das ‘super-qualidades’ da câmera você acredita? Você talvez não, mas muita gente já acreditou. Não seria o papel do programa e dos apresentadores escolherem e garantirem a qualidade dos produtos anunciados?

O que dizer das inserções de propaganda em postagens de blogs, tweets e vídeos? Ironicamente sou diretor de criação há 14 anos, deveria defender a propaganda, mas infelizmente não concordo com o que se faz na internet ultimamente. Você assiste o último vídeo de um vlogueiro famoso criticando comerciais de televisão, quando na verdade se trata de um comercial para tablet. Você assiste um vídeo de uma vlogueira famosa falando de relacionamentos, quando na verdade se trata de uma campanha publicitária sobre o tema.

Você acessa os maiores blogs do país e entre as postagens está sempre lá, uma propaganda aqui, uma campanha ali. E minhas críticas quanto a esta prática, nunca foram direcionadas para os seus criadores.

Essa perda da ingenuidade, de saber que existem informações inseridas de forma mais subliminar, gerou em todos estes blogueiros, twitteiros e vlogueiros, um comportamento ‘comercial demais’. Todo o conteúdo publicado é potencialmente uma capitalização. Por este motivo, nenhum deles irá divulgar alguém, um vídeo, um texto, um link qualquer, se eles enxergarem que você poderá se beneficiar disso. Preferem os anônimos, os conteúdos ‘sem dono’, pessoas que não possuem uma vida ativa na internet e que assim poderiam obter algum retorno financeiro.

A ingenuidade perdida impede que eles possam olhar com uma atitude mais generosa. Não existe mal algum em você promover alguém de graça, por pura gentileza. Quando eu gosto de algo na internet, minha primeira atitude é compartilhar o conteúdo, passar ele adiante, propagar para o maior número de pessoas. Não estou interessado em quanto eu vou beneficiar alguém ou até mesmo prejudicar em algumas circunstâncias. Apenas sigo o princípio básico no qual a internet foi forjada: da troca, do compartilhamento, da informação livre. É estranho pensar que um dia a internet modificou o mundo fonográfico, mudou a comunicação, mudou a tecnologia, mudou o comportamento humano, as relações interpessoais e agora estamos vendendo toda essa liberdade conquistada que nos custou tão caro, tão caro que não teve preço.

Não estou sendo ingênuo, utópico, anarquista ou iconoclasta, eu acho que todos devem ganhar dinheiro e ter uma vida digna. Eu adoraria receber algum dinheiro para manter o Gelo Negro, não para comprar o último lançamento da Apple, mas para conseguir me dedicar mais a este site que tanto amo. Mas eu jamais deixaria que isso influenciasse no meu conteúdo, nas coisas que eu escrevo. Nem mesmo a opinião de você que acessa o site pode influenciar nisso. Eu estou gerando conteúdo para você e preciso compartilhar justamente o que você não encontrou em outro lugar, coisas desconhecidas para você.

Eu sou inteligente o suficiente para entender que esse é o caminho mais árduo. Se eu fizesse vários posts polêmicos, falando de ícones pop e da atualidade, o retorno seria imediato. Por isso, até mesmo quando falei aqui do Felipe Neto ou de uma cantora internacional como a Selena Gomez, eu realmente tinha algo a dizer, uma experiência que vivi e queria compartilhar, sem nunca me preocupar se isso traria algum acesso ao site ou não.

Estamos vendendo diamantes pelo preço de pedaços de vidro.

Mas de vez em quando, ainda encontramos pessoas, que acreditam na simplicidade da troca, da bondade, do carinho. Quando escrevi sobre a Clarice Falcão, já me ocorreu imediatamente converter seus vídeos em áudio, mas fiquei apreensivo de distribuir algo sem autorização, a velha história dos direitos autorais. Exatamente como falei acima, tentando ajudar, posso acabar prejudicando um artista, afinal não sei se ela tem planos de lançar um cd com essas músicas e os downloads acabarem diminuindo as vendas por exemplo.

A mesma internet que catapultou ‘A Banda Mais Bonita da Cidade’ para a fama é a mesma que fez quebrar gravadoras em todo o mundo. O princípio é o mesmo, os finais que são diferentes. Enquanto você é ‘indie’ a internet é amiga, depois passa a ser vilã. Precisamos achar um ponto de equilíbrio. De qualquer forma resolvi mandar o link da postagem para a Clarice e tive o melhor retorno que eu poderia imaginar. Ela poderia achar que eu estava tentando angariar uns acessos as suas custas, poderia achar que eu estava apenas querendo fazer uma média ou poderia pensar o que realmente eu gostaria, de que se trata apenas de uma homenagem sincera, simples e de coração.

Não é bom quando a gente gosta de alguém que merece?

A Censura do Youtube

Hoje editei um vídeo para publicar no Youtube e ele foi bloqueado por infração de direitos autorais. Sinceramente, não consigo que em um lugar como a internet, onde liberdade é palavra de ordem, existam gravadoras que ainda exijam do Youtube, o bloqueio de conteúdos de seus artistas. Já comprei inúmeros cds na internet, depois de ouvir uma música inserida em algum vídeo amador qualquer. O que dizer do caso da ‘Banda Mais Bonita da Cidade’, que ficou conhecida em todo país pelas inúmeras variações feitas com a canção? Tudo é promoção e só tem um grande beneficiário, o artista.

Pela lei brasileira, a infração do um direito autoral só se estabelece, quando se obtém lucro sem autorização e conhecimento do autor, somente nestes casos. Por exemplo: Fazer cópias de um cd que você comprou, não é pirataria e nem infração de direito autoral. Reproduzir um cd, uma música, não é ilegal. Ilegal é a comercialização desta reprodução.

Por isso que ao fazer um show de música, o organizador precisa pagar o ECAD, pois é uma execução pública que está obtendo lucro. Quando se trata de um evento sem fins lucrativos, acredito eu que o ECAD não cobra taxas além de algo básico e rotineiro.

Posso estar errado, mas na minha visão, este tipo de atitude é antiquada e ignorante, contrária ao fluxo que a sociedade caminha. Se você não quer disponibilizar algo na internet, ok, direito seu. Mas é muito chato ver meu video bloqueado e na lista ao lado, o clipe da canção disponibilizado pela gravadora ou um parceiro qualquer. Isso me soa como birra de criança egoísta que não quer emprestar a bola. Não quer dividir, então joga sozinho amigo…

Lembrando um detalhe, o Adsense do Youtube, que paga os vlogers pelos views de cada vídeo, só são repassados, caso o seu vídeo não tenha material de terceiros. O pior de tudo é que não existe uma lei preto e branco, oito ou oitenta. Cada vídeo tem um tipo de classificação, cada vídeo recebe um tipo de ‘punição’. Para vocês terem uma ideia, meu video foi bloqueado no mundo inteiro, exceto no Canadá, país onde a cantora Feist nasceu. Eles podem, nós não. Pode parecer bobagem, mas sinto cheiro de facismo no ar…

 

Two and a Half Men

Eu sempre gostei de Teorias da Conspiração. É sempre intrigante a ideia de que nem tudo é o que parece. Todos que acompanharam as oito primeiras temporadas de Two and a Half Men, sabe que Charlie Sheen foi demitido da franquia, por problemas com o diretor. Porém, quando recentemente anunciaram a forma com que Charlie sairia da história, logo imaginei uma versão diferente para todos estes acontecimentos.

Não vou chegar tão fundo e dizer que tudo tenha sido armação, os escândalos e internações de Sheen e as brigas com a direção do programa, mas também não descarto a possibilidade. Vamos imaginar que tudo tenha sido verdade. Agora atente a um detalhe simples. Segundo a imprensa, Charlie não seria mostrado morto. A versão da ‘suposta’ morte dele, foi contata para a família pela Rose, que teria se casado com ele e descoberto que ele a traiu.

Deixando no ar que ela mesma o teria matado, já que ele morreu de forma suspeita, caindo nos trilhos do trem. Essa morte trágica, que segundo a imprensa seria uma vingança do diretor de Two and a Half Men para mim esconde outra possibilidade.

Charlie não teria morrido, Rose tem um passado bem famoso de maluquice extrema. Por ciúmes de Charlie, ela poderia estar prendendo ele em alguma espécie de cativeiro, só assim Charlie, mulherengo inveterado, deixaria de traí-la. Desta forma, ficaria uma brecha para que Charlie Sheen voltasse ao seriado. Se isso tudo foi planejado ou é apenas uma manobra, para não acabar de vez com o personagem, eu não sei, mas anotem aí minhas desconfianças. Em breve Charlie Sheen voltará ao programa.

 

 

Previous Posts Next Posts